Paulo Roberto Costa alega não ter dinheiro para ir a Curitiba

Narley Resende


Maíra Gioia, CBN Curitiba 

A defesa do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa alegou que ele não tem dinheiro para vir a Curitiba e prestar depoimento como testemunha de acusação em um processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Operação Lava Jato.

Paulo Roberto é delator da operação e foi intimado pelo Ministério Público Federal (MPF). A defesa pediu para que ele seja ouvido no Rio de Janeiro, onde cumpre prisão domiciliar.

Os advogados justificaram “ocorre que o deslocamento do requerente gerará um grande dispêndio em virtude dos altos valores das passagens aéreas, não tendo hoje condições de arcar com essas despesas, em virtude da grave dificuldade econômica em que toda a família se encontra, somando ainda o fato, de suas contas bancárias ainda encontrarem-se bloqueadas”. Ainda não há uma decisão do juiz Sérgio Moro sobre o pedido.

Esta não é a primeira vez em que a defesa do ex-diretor de abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, faz este tipo de pedido. Em fevereiro deste ano, foi pedido que um depoimento fosse feito por videoconferência. Na época o argumento utilizado também foi o de falta de dinheiro após ser intimado a depor como testemunha de acusação em um processo que tem como réu o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

Paulo Roberto Costa é um dos principais delatores da Operação Lava jato e atualmente cumpre pena em regime aberto, no Rio de Janeiro, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Devolveu R$ 79 milhões aos cofres públicos em decorrência da operação.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="424422" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]