Petistas sugerem vaquinha para compensar bloqueio de bens de Lula

Fernando Garcel


Membros do Partido dos Trabalhadores (PT) sugeriram uma campanha para arcar com os bloqueios de bens do ex-presidente Luiz Inácio Lula determinados pelo juiz federal Sérgio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato.

A primeira sugestão seria criar um fundo de manutenção para Lula. Com 1,4 milhão de filiados ao PT, o valor chegaria a R$ 14 milhões com a doação de dez reais por correligionário.

Outra ideia semelhante conta também com o apoio de militantes não filiados, o que arrecadaria R$ 20 milhões com a doação de dez reais por pessoa.

Lula é condenado a 9 anos e seis meses de prisão na Lava Jato
Moro determina sequestro de valores, imóveis e carros de Lula

Capturar

Capturar2

Bloqueio de bens

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, determinou a indisponibilidade de bens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado na semana passada na ação penal que investigou o tríplex do Condomínio Solaris apontado como forma de recebimento de propina por contratos da Petrobras com a empreiteira OAS. Banco Central bloqueou mais de R$ 600 mil do ex-presidente.

Os bens bloqueados serão utilizados para ressarcir a Petrobras caso Lula seja condenado e não tenha mais recursos para recorrer da decisão de Moro.

Defesa diz que Lula foi condenado sem provas e prepara recurso ao TRF4
“Não estou preocupado com as conseqüências políticas”, diz relator do TRF4 sobre recurso de Lula

No primeiro momento, o magistrado determinou o sequestro parcial sobre três apartamentos em São Bernardo do Campo e 35,92% de um quarto apartamento na mesma cidade, referentes às partes sobre a qual Lula tem posse e sobre veículos que estão no nome do ex-presidente. Como os bens não atingem a cifra de R$ 13,7 milhões restantes, Moro também solicitou ao Banco Central o bloqueio das contas e ativos de Lula até o limite de R$ 10 milhões.

Com o sequestro do tríplex no Guarujá tendo sido decretado já na sentença publicada na semana passada, Moro decidiu que as contas e bens de Lula devem ser confiscados até que se atinja o valor de R$ 16 milhões que, segundo a denúncia, foram depositados na forma de propina na conta-corrente compartilhada entre o PT e a OAS Empreendimentos.

Dentre os bens que tiveram sequestro decretado estão 50% da posse sobre três apartamentos em São Bernardo do Campo e 35,92% de um quarto apartamento na mesma cidade, referentes às partes sobre a qual Lula tem posse. Além dos imóveis, Moro determinou o confisco de dois veículos: um GM Omega CD ano 2010 e um Ford Ranger LTD ano 2012/2013.

O único automóvel que permanece sobre controle do ex-presidente é um Ford F1000, de 1984, que não possui valor representativo.

Financiamento coletivo petista

O sistema da “vaquinha” on-line também financiou a Jornada pela Democracia, da ex-presidente Dilma Rousseff, e arrecadou R$ 791,9 mil no ano passado. A meta da campanha era alcançar R$ 500 mil e foi usado para arcar os custos dos deslocamentos de Dilma no período em que o processo de afastamento ainda estava em tramitação no Congresso.

Capturar> Vaquinha para pagar viagens de Dilma alcança R$ 725 mil

Por outro lado, a campanha “Um Brasil justo, pra Todos e pra Lula” do ex-presidente, que tinha como objetivo alcançar meio milhão de reais, alcançou apenas 57% do esperado e foi encerrada em dezembro de 2016 com pouco mais de R$ 285,3 mil pelo Catarse. O objetivo da vaquinha seria mobilizar eventos, ações internacionais e produção e divulgação de materiais.

Previous ArticleNext Article