Ex-deputada é indiciada na Lava Jato por mesada de R$ 30 mil

Narley Resende


A Polícia Federal no Paraná indiciou a ex-deputada Aline Corrêa, do Partido Progressista (PP) de São Paulo, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Aline é filha do também ex-deputado Pedro Corrêa, delator na Operação Lava Jato.

O inquérito contra Aline havia sido instaurado a partir da delação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa. O relatório de indiciamento, publicado nesta sexta-feira (3), foi entregue pela PF na segunda-feira, dia 30, e cita o doleiro Alberto Youssef e a empreiteira UTC, controlada pelo executivo Ricardo Pessoa. Todos são delatores.

De acordo com a Polícia Federal. Aline Corrêa, “aderiu à conduta criminosa de Pedro Corrêa, Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa”. A PFl afirma que Aline Corrêa recebeu recursos em espécie por determinação do pai. (Leia a íntegra do relatório assinado pela delegada Renata da Silva Rodrigues).

Aline foi citada na delação de Paulo Roberto Costa. Ele afirmou que lembrava de Aline ‘porque participava de algumas das reuniões com o grupo principal de dirigentes do PP, em razão de ser filha de Pedro Corrêa’.

Depois, Alberto Youssef declarou que Aline Corrêa ‘recebia um repasse mensal dos líderes do PP no montante de R$ 30 mil. O dinheiro seria recurso do caixa de propina do Partido Progressista na Petrobrás’.

O doleiro relatou que a ex-deputada ‘ia toda segunda ou sexta-feira’ aos escritórios dele ‘para reclamar que o pai e demais dirigentes do PP não estavam fazendo os devidos repasses’ e pedia que ele realizasse os repasses diretamente a ela.

Defesa

Em nota, a defesa afirma que a delatora deve se manifestar somente às autoridades da Operação Lava Jato. “Aline Corrêa sempre esteve e continua à disposição das autoridades. Como colaboradora da Justiça, se manifestará somente perante as autoridades que atuam na Operação Lava Jato, para quem já esclareceu todas as questões envolvendo as doações eleitorais recebidas oficialmente na sua campanha de 2010.”, diz o advogado Alexandre Augusto Loper.

Previous ArticleNext Article