PF indicia ex-gerente da Petrobras por fraudes no Comperj

Redação


O ex-gerente do setor de Engenharia da Petrobras Roberto Gonçalves foi indiciado pela Polícia Federal por corrupção, fraude à licitação e organização criminosa. De acordo com a Força Tarefa Lava Jato, ele recebeu propinas para favorecer a UTC Engenharia em contratos de obras no Comperj, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro.

Além de Roberto Gonçalves, também foram indiciados o dono da UTC, Ricardo Pessoa, e o ex-dirigente da empresa Walmir Pinheiro Santana. Delatores da Lava Jato, eles foram indiciados pelos mesmos crimes do ex-gerente da estatal e também por lavagem de dinheiro.

O relatório da Polícia Federal aponta quatro indícios de que Roberto Gonçalves recebeu vantagens indevidas, a começar pela própria atuação do ex-gerente que garantiu a contratação direta do Consório TUC – controlado pela UTC Engenharia – pela Petrobras. Gonçalves também já admitiu ter marcado pelo menos um encontro informal com o empreiteiro Ricardo Pessoa.

Um terceiro argumento da Polícia Federal são os extratos telefônicos de Pessoa, que revelam o contato constante entre ele e Gonçalves. O maior volume de ligações e trocas de mensagens aconteceu entre 2011 e 2013, quando o ex-gerente da estatal ocupava o cargo no setor de Engenharia da Petrobras. Por fim, a PF aponta que a UTC tinha uma estrutura de caixa dois para fazer os pagamentos de propinas em dinheiro vivo.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="383221" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]