Operação Lava Jato
Compartilhar

MPF pede que Léo Pinheiro seja transferido para presídio

Narley Resende, com colaboração de Fernando GarcelO Ministério Público Federal (MPF) pediu ao juiz federal Sérgio Moro, ..

Narley Resende - 04 de outubro de 2016, 11:10

Narley Resende, com colaboração de Fernando Garcel

O Ministério Público Federal (MPF) pediu ao juiz federal Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal em Curitiba, a transferência do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, para o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana. O executivo já condenado na Operação Lava Jato está preso na Superintendência da PF, em Curitiba, desde o dia 5 de setembro, quando foi detido pela segunda vez.

ANÚNCIO

Não há no processo uma justificativa do MPF para o pedido de remoção. Sérgio Moro disse em despacho que considera as manifestações anteriores do MPF e da defesa e determinou o prazo de cinco dias para transferência.

O empresário estava em liberdade provisória e foi alvo de um mandado de condução coercitiva, na Operação Greenfield, que investiga irregularidades nos principais fundos de pensão do país. Para o MPF, há provas de que o empresário agiu para obstruir as investigações e por isso ele acabou preso novamente.

ANÚNCIO

O ex-presidente da OAS é réu em nova ação por supostamente por ter beneficiado o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com um tríplex no Guarujá, no litoral paulista, reformado e parcialmente mobiliado, e com o pagamento pela armazenagem do acervo presidencial, num total de R$ 3,7 milhões.

Na denúncia, os procuradores do MPF atrelaram o valor ao pagamento de propina da Petrobras nas obras das refinarias Presidente Vargas (Repar) e Abreu e Lima (Rnest).

Em agosto do ano passado, o empresário foi condenado em um processo da Operação Lava Jato, a 16 anos e 4 meses de cadeia. Com uma delação cancelada, Pinheiro ainda é réu em outras duas ações na Lava Jato e respondia aos processos em liberdade provisória.

Ele voltou para a cadeia na segunda-feira da semana passada. O pedido de prisão preventiva foi apresentado pelo Ministério Público Federal (MPF) e afirma que o executivo é um criminoso habitual.

O MPF lembra que Léo Pinheiro está envolvido vários tipos de crimes em contratos da Petrobras, do Metrô de São Paulo e da Arena Fonte Nova – estádio da Copa do Mundo de 2014.

O MPF também relata que, mesmo com a Operação Lava Jato em andamento, o empresário corrompeu o ex-senador Gim Argello (ex-PTB/DF) e teria oferecido propina para atrapalhar as investigações. A primeira prisão de Léo Pinheiro ocorreu durante a 7ª fase da Lava Jato, em novembro de 2014.

Transferências

Nessa segunda-feira, Moro aceitou o pedido do delegado da PF Igor Romário de Paulo e autorizou a transferência do ex-assessor de Antonio Palocci, Branislav Kontic, para o mesmo presídio.

Também estão presos no Complexo Médico-Penal o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o empreiteiro Marcelo Odebrecht, o ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE), o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o ex-deputado federal Luiz Argôlo (SD-BA), entre outros investigados e condenados pela Operação Lava Jato.

pinheiro