PF terá mais tempo para finalizar perícia em sistema de propinas da Odebrecht

Roger Pereira


Por Thaissa Martiniuk / BandNews FM Curitiba

A Polícia Federal vai ter mais 45 dias para finalizar a perícia de novos dados referente ao sistema de pagamentos de propina da Odebrecht. A prorrogação já foi autorizada pelo juiz Sérgio Moro. O motivo da solicitação é a chegada ao Brasil de dois HDs e um pen drive, apreendidos na Suíça, e que são relativos ao sistema Drousys, que controlava o pagamento de vantagens indevidas da empreiteira.

De acordo com o delegado Felipe Hayashi, na próxima semana os peritos criminais vão a Brasília para fazer uma cópia do material. As novas informações foram conseguidas por meio de cooperação jurídica internacional e teriam relação direta com processo que investiga o terreno para o Instituto Lula e o apartamento vizinho ao do ex-presidente em São Bernardo do Campo.

Após o pedido dos procuradores para análise dos novos dados, a defesa do ex-presidente contestou a extensão da perícia. Os advogados do petista afirmaram que o material não estava na ação e não foi submetido ao contraditório e à ampla defesa. Desta forma, a defesa de Lula entende que não é possível incluí-lo ao processo.

Além disso, os defensores alegam que não há autorização expressa das autoridades suíças para utilização do material para instrução nesta ação penal. Apesar do pedido dos advogados de Lula em negar a solicitação do MPF, o juiz Sérgio Moro afirmou em despacho que não vê qualquer impedimento em estender a perícia para abranger o novo material recebido, uma vez que a análise de documentos do sistema de propinas da Odebrecht ainda está em andamento. Moro ainda diz que o confronto entre os novos dados e o anterior ainda poderá ser relevante para atestar ou não a autenticidade dos documentos digitais.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal