Prisão de José Dirceu completa um ano

Mariana Ohde


A prisão de José Dirceu completa um ano nesta quarta-feira (3). O ex-ministro da Casa Civil foi detido na 17ª fase da Operação Lava Jato e condenado a 20 anos e dez meses de prisão por crimes como corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A pena, originalmente, era de 23 anos e três meses de prisão. Porém, em junho, o juiz Sérgio Moro aceitou o pedido da defesa e reduziu a pena do ex-ministro em dois anos e cinco meses. No despacho, o magistrado considerou como atenuante a idade de Dirceu, que está com 70 anos.

José Dirceu está preso desde 3 de agosto do ano passado e hoje cumpre pena no Complexo Médico Penal em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

Justiça Federal aceita denúncia contra filha de José Dirceu
‘É prisão perpétua’, diz defesa de Dirceu sobre pena imposta por Moro

O Ministério Público Federal (MPF) sustenta que os crimes investigados na 17ª fase, a Pixuleco, envolveram 64 atos de lavagem de dinheiro, que somam mais de R$ 60 milhões. De acordo com a denúncia, só Dirceu teria recebido, pelo menos, R$ 11 milhões em propina a partir de acordos firmados com a Petrobras.

No dia 29 de junho, Moro recebeu mais denúncia do MPF contra o ex-ministro, e também contra o ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, que também já foi condenado em processos anteriores da Operação Lava Jato. A denúncia diz respeito a 30ª fase da operação, a Vício, e aponta que Duque ajudou uma empresa de tubos a fechar contratos com a Petrobras e, para isso, recebeu R$ 7 milhões em propina. Parte do valor foi repassado ao núcleo político capitaneado por José Dirceu. “Assim, cerca de 30% dos valores recebidos por Júlio Camargo, o que equivale a R$ 2.144.227,73, foram transferidos ao ex-ministro da Casa Civil”, diz o MPF.

Elogios

Em uma das alegações finais apresentadas à Justiça Federal do Paraná, em maio deste ano, os advogados de Dirceu fizeram elogios ao juiz Sérgio Moro. Em quatro das 300 páginas páginas que compunham o documento, os criminalistas falaram sobre a atuação do juiz na Lava Jato.

“É de fato digno de aplausos o importante papel realizado por este magistrado, que hoje é reconhecido por quase toda a totalidade dos brasileiros e se transformou numa figura proeminente em nosso país”, escreveu a defesa. “Com isso, elevou o papel do Judiciário e conseguiu desvendar uma corrupção sistêmica existente no Brasil”.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal