Sentenças da Lava Jato ultrapassam mil anos de prisão

Andreza Rossini


As condenações nos processos relacionados à Operação Lava Jato, conduzidos pelo juiz federal Sérgio Moro, chegaram ao número de 1.133 anos de prisão, nas sentenças proferidas nos dois anos da força-tarefa. Com a sentença referente à ação penal da 17ª fase da Operação, batizada de Pixuleco, que condenou José Dirceu a 23 anos e três meses de prisão, a maior pena de toda a operação, e mais 10 réus da operação, são 100 pessoas condenadas no esquema criminoso que desviou recursos da Petrobras.

A condenação do ex-ministro José Dirceu foi pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Moro definiu pena de 10 anos por corrupção passiva, 9 anos e dois meses por lavagem de dinheiro e quatro anos e um mês por organização criminosa. Até então, a maior pena era a imposta a Renato Duque, ex-diretor da Petrobras, a 20 anos e oito meses de prisão.

‘É prisão perpétua’, diz defesa de Dirceu sobre pena imposta por Moro

Apenas no processo relacionado a Pixuleco, as penas somam 143 anos de reclusão em regime fechado. Após as sentenças em primeira instância, os condenados podem recorrer às decisões no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre, além do Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça.

Com informações da BandNews Curitiba

Previous ArticleNext Article