Sete políticos paranaenses aparecem em planilha apresentada pela Odebrecht

Redação


Uma planilha apresentada pelo ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Junior para a Procuradoria-Geral da República (PGR) aponta nomes de sete políticos do Paraná.

A lista é do Setor de Operações Estruturadas da empreiteira, conhecido como setor de “pagamento de propinas”. O documento detalha 642 pagamentos para cerca de 200 políticos que teriam sido feitos via caixa dois, entre 2008 e 2014, totalizando R$ 246 milhões.

Não há pedido de investigação contra nenhum dos citados.

Na planilha, e possível encontrar os nomes dos candidatos, apelidos, valores e os cargos aos quais eles concorreriam.

Confira os envolvidos: 

odebrecht

  • Gustavo Fruet (PDT), ex-prefeito de Curitiba. Teria recebido R$ 200 mil em repasses.
  • Cida Borghetti (PP), vice-governadora do Paraná. Teria recebido R$ 50 mil em 2010.
  • Ademar Traiano (PSDB), deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Paraná. Teria recebido R$ 50 mil.
  • Plauto Miró (DEM), teria recebido R$ 50 mil em 2010.
  • André Vargas (PT) ex-deputado federal, condenado na Lava Jato, que teria recebido R$ 75 mil.
  • Luiz Carlos Hauly (PSDB), deputado federal teria recebido R$ 50 mil.
  • Durval Amaral, presidente do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, teria recebido R$ 120 mil.

Amaral alegou que todos os valores que receberam oriundo de doações foram devidamente declarados à Justiça.

Cida e Vargas negam o recebimento.

O Paraná Portal não conseguiu entrar em contato com a assessoria de Traiano.

Confira a nota de Fruet:

Ao contrário do que informa a lista, em 2010 Gustavo Fruet não disputou eleição de deputado.
Naquele ano, concorreu a senador e não foi eleito.
Em 2012, a coligação recebeu de forma oficial R$ 300 mil doados pela Odebrecht ao diretório nacional do PDT devidamente declarado. Foi eleito prefeito e não assinou nenhum contrato com a empresa durante os 4 anos de mandato na Prefeitura de Curitiba.

O deputado Luiz Carlos Hauly afirmou não saber da acusação da delação.
 Confira a nota do deputado Plauto Miró:
O Deputado Estadual Plauto Miró encontra-se em viagem, mas informou por meio da assessoria de imprensa que todas as doações eleitorais recebidas ao longo de sua vida política foram devidamente informadas a Justiça Eleitoral, tendo sido aprovadas na integralidade. Informa ainda que não foi comunicado por qualquer autoridade judiciária para esclarecimento de fato oriundo de sua prestação de contas eleitoral. Porém, está à disposição da justiça para sanar eventuais dúvidas por ser o principal interessado em qualquer investigação, que tenha seu nome envolvido indevidamente.

Previous ArticleNext Article