STF homologa delação de Sérgio Machado, que gravou Renan e Jucá

Redação


O relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Teori Zavascki, homologou o acordo de delação premiada do ex-senador Sérgio Machado (PMDB-CE), ex-presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras. Com a homologação, as declarações gravadas por Machado envolvendo lideranças do PMDB passam a ter valor jurídico e novos inquéritos deverão ser autorizados pelo Supremo.

Ao menos três peemedebistas tiveram conversas gravadas pelo ex-senador: o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o senador Romero Jucá (RR) e o ex-presidente José Sarney. Os áudios de Renan e Jucá já foram publicados pela Folha de S.Paulo. O segundo teve de deixar o Ministério do Planejamento após a repercussão de suas declarações. Entre elas, a de que era preciso trocar o governo e fazer um acordo para “estancar a sangria” da Lava Jato.

Amigo de Renan, o ex-presidente da Transpetro foi delatado por um executivo de empreiteira, que contou ao Ministério Público Federal que o peemedebista utilizava uma conta para receber propina. Para evitar a prisão, o ex-senador buscou um acordo de delação premiada e gravou seus colegas de partido.

Leia a matéria completa

Previous ArticleNext Article