Testemunha dribla defesa de Palocci, que acusa manobra

Roger Pereira


O depoimento do ex-presidente da Odebrecht Pedro Novis, marcado para esta quarta-feira na ação penal que tem como réus, entre outros, o ex-ministro Antônio Palocci e o empreiteiro Marcelo Odebrecht foi transferido para a próxima sexta-feira, apesar de a testemunha estar na sede da Justiça Federal do Paraná, na frente do juiz Sérgio Moro, no horário marcado para a audiência. E foi justamente a presença dele na audiência que causou a confusão, pois seu depoimento estava marcado para ser colhido por videoconferência, a partir de São Paulo, onde estavam lhe aguardando para inquirir os advogados de defesa de Palocci.

Com o pedido da defesa de Pedro Novis para que seu depoimento fosse colocado em sigilo (pelo fato de ele ser um dos delatores na Odebrecht na Procuradoria-Geral da República) e que seu rosto não fosse filmado durante a audiência, a defesa de Palocci solicitou o adiamento da oitiva, alegando que a defesa tem o direito de observar as reações e expressões corporais da testemunha.

Mas o que mais irritou os advogados de Palocci foi a justificativa da testemunha para ter comparecido presencialmente em Curitiba, quando seu depoimento estava marcado para São Paulo. Arrolado como testemunha de Marcelo Odebrecht, Novis teria dito, segundo os advogados de Palocci, que compareceu para depor em Curitiba instruído pela força-tarefa da Lava Jato, em reunião anterior que teve com os investigadores.

Em petição protocolada no processo na tarde desta quarta-feira, a defesa do ex-ministro pede explicações ao Ministério Público Federal e questiona se “é dado às partes se reunirem com testemunhas antes de sua inquirição? Para tratar do quê? Qual a dedução possível que se pode extrair dessa estranha “reunião”, do ponto de vista deontológico ou mesmo legal? Qual teria sido o temário do clandestino (por que desconhecido das partes outras e certamente do juízo) encontro?”. O Ministério Público Federal ainda não se manifestou. Em resposta ao Paraná Portal, a assessoria de imprensa do MPF disse que qualquer resposta a petições será feita nos autos do processo.

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="420808" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]