TRF absolve executivos da OAS condenados por Moro

Narley Resende


O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) absolveu nessa quarta-feira (23) dois executivos da empreiteira OAS condenados em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro, na Operação Lava Jato.

> Sergio Moro tem “esperança” de que deputados não aprovem a anistia ao caixa 2

Mateus Coutinho de Sá Oliveira havia sido condenado a 11 anos de prisão e Fernando Augusto Stremel Andrade a quatro anos em regime aberto. Ambos recorreram ao TRF4, que determinou a absolvição. O primeiro julgamento havia sido suspenso em agosto deste ano.

De acordo com o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos recursos da Lava Jato no TRF4, os dois foram absolvidos porque restaram “dúvidas razoáveis sobre sua atuação no esquema”.

Mateus Coutinho Oliveira recorria da condenação por lavagem de dinheiro e organização criminosa em liberdade.

Fernando Stremel também não tinha sido preso após ter sido condenado por Moro, em agosto do ano passado, a prestação de serviços comunitários pelo crime de lavagem de dinheiro.

O criminalista Juliano Breda, que representa Mateus Coutinho, comemorou a decisão. “Lamentamos o período em que ele ficou indevidamente preso. A decisão reconheceu aquilo que sempre postulamos”, afirmou. Breda sempre defendeu a inocência de seu cliente em todos os recursos que protocolou.

Os executivos fora presos preventivamente pela Operação Juízo Final, 7ª fase da Lava Jato, deflagrada em 14 de novembro de 2014. Eles ficaram detidos por mais de cinco meses e, por ordem do Supremo Tribunal Federal, outros três meses monitorados por tornozeleira eletrônica.

 

Previous ArticleNext Article