Vaccari e Renato Duque ficam em silêncio durante audiência com Moro

Fernando Garcel


O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela primeira instância da Operação Lava Jato, ouviu na tarde desta segunda-feira o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) João Vaccari Neto e o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque em processo da 35ª fase da operação que tem como réu o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht. Todos estão presos em Curitiba.

O depoimento de ambos, marcado para acontecer a partir das 14 horas, terminou em menos de uma hora. Ambos ficaram em silêncio durante toda a oitiva. Como não são delatores, eles não tem compromisso de se manifestar como testemunhas.

[insertmedia id=”PqYQhjxt7gA”]

[insertmedia id=”_0wKT-WF1-w”]

Além de Vaccari e de Duque, Moro também ouviu os irmãos Marcelo Rodrigues e Olívio Rodrigues Júnior. Eles são acusados de operar contas utilizadas pela Odebrecht para realizar pagamento de propina por meio do Setor de Operação Estruturadas da empreiteira, conhecido como o Departamento da Propina. Na posição de delatores, ambos responderam todas as perguntas do magistrado.

> Operadores de empresas offshore não conheciam o beneficiário final de transações da Odebrecht

Próximos depoimentos

O casal de publicitários João Santana e Mônica Moura passa pelo interrogatório nesta terça-feira (18). Na mesma data, tem audiência marcada o ex-assessor de Palocci, Branislav Kontic. O ex-ministro será o último interrogado no processo, em audiência marcada para 20 de abril.

A defesa de Antonio Palocci protocolou um pedido para que a audiência do ex-assessor de Palocci aconteça no mesmo dia em que o ex-ministro será ouvido pelo magistrado. Na justificativa, o advogado de Palocci, José Roberto Batocchio, afirma que inicialmente a audiência esta designada para acontecer na mesma data em que o pedido de habeas corpus que pretende garantir a revogação da prisão preventiva do ex-ministro será julgada no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e, por tanto, o defensor não poderá estar presente na audiência o que poderia afetar o direito a ampla defesa para Branislav Kontic. O juiz federal Sergio Moro ainda não se pronunciou se a audiência será, ou não, remarcada.

Operação Omertà

Sete réus desta ação penal já prestaram depoimento ao juiz Sérgio Moro. O Ministério Público Federal acusa Palocci de beneficiar a Odebrecht no governo federal em troca de propina. A denúncia está relacionada à obtenção, pela empreiteira Odebrecht, de contratos de afretamento de sondas com a Petrobras. De acordo com os investigadores, os repasses feitos a Palocci teriam passado de R$ 128 milhões.

Depois do interrogatório de todos os réus, a Justiça Federal abre prazo para a entrega das alegações finais, por escrito, última etapa antes de o juiz decretar a sentença.

Previous ArticleNext Article