Vaccari roubava para o partido, diz Moro ao TRF4

Roger Pereira


Em manifestação enviada ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em habeas corpus pleiteado pela defesa do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o juiz federal Sérgio Moro afirmou que condenou Vaccari apesar de não haver provas de enriquecimento ilícito do réu porque ele “roubava para o partido e não para ele próprio”.

Moro justifica que, apesar da decisão do TRF 4 de absolver Vaccari em uma das ações penais em que foi condenado ( 5012331-0.2015.404.7000), o ex-tesoureiro do PT não foi colocado em liberdade porque já foi condenado criminalmente em outros processos. “Fato é que, desde a prolação da sentença na ação penal 5012331- 0.2015.404.7000 na distante data de 21/09/2015, as provas do papel central de João Vaccari Neto no esquema criminoso que vitimou a Petrobrás somente avolumaram-se”, escreveu o magistrado, citando que, considerando os casos já julgados, era ele o principal arrecadador de vantagens indevidas junto às empresas fornecedoras da Petrobrás para campanhas do Partido dos Trabalhadores.

Sérgio Moro sustenta que os elementos probatórios constantes em todos os casos julgados e que vem, progressivamente, “avolumando-se, no sentido de que João Vaccari Neto teve um papel central no esquema criminoso que vitimou a Petrobrás, justificam, a ver do Juízo, a manutenção da (prisão) preventiva do referido condenado”.

Veja mais:

Lula pede para que depoimentos do caso Odebrecht sejam incluídos no processo do tríplex

Defesa de Lula pede acesso ao software de contabilidade da Odebrecht

 

 

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="441790" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]