Orientador de Decotelli em suposto doutorado não cita ministro e nem Rosário no currículo

Redação

Decotelli deixa MEC após revelações de falsidades em currículo

Antonio de Araujo Freitas Júnior, apontado por Carlos Alberto Decotelli como orientador em seu doutorado, não menciona o novo ministro da Educação e nem mesmo a Universidade de Rosário em seu currículo lattes. O título de doutor foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na nomeação do substituto de Weintraub e desmentido pelo reitor da Universidade de Rosário na tarde desta sexta-feira (26).

Em seu lattes, Freitas Júnior só faz menção à Universidade José do Rosário Vellano, em Minas Gerais. Além disso, nenhum momento o nome de Carlos Alberto Decotelli da Silva aparece.

Entre as participações em bancas de teses de doutorado, a maioria foram em universidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Fora do Brasil, são listadas dois doutorados em Lisboa.

Apresentação, orientador de Decotelli em suposto doutorado. (Reprodução/Lattes)

REITOR DA UNIVERSIDADE DE ROSÁRIO DESMENTE TITULAÇÃO DE DOUTOR

Pelo Twitter, Franco Bertolacci, reitor da Universidade de Rosário, desmentiu Jair Bolsonaro em seu anúncio da nomeação de Carlos Alberto Decotelli da Silva como novo ministro da Educação.

Segundo o presidente, Decotelli é formado em Ciências Econômicas pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), mestre pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), doutor pela Universidade de Rosário, na Argentina, e pós-doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha.

“Nos vemos na necessidade de declarar que Carlos Alberto Decotelli da Silva não obteve a titulação de doutor na Universidade de Rosário que se menciona nessa divulgação”, disse o reitor compartilhando o tweet de Bolsonaro.

À coluna da Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, Bartolacci disse que Decotelli “cursou o doutorado, mas não finalizou, portanto não completou os requisitos exigidos para obter a titulação”.

DECOTELLI SUBSTITUI WEINTRAUB

Carlos Alberto Decotelli da Silva foi escolhido por Jair Bolsonaro para ser o novo ministro da Educação após a saída de Abraham Weintraub, investigado no inquérito das fake news. Apesar de ser considerado um técnico na área, ele também é oficial da reserva da Marinha.

Ele é o terceiro ministro da Educação do atual governo e já tinha sido cogitado pela ala militar quando Ricardo Vélez, primeiro ministro da gestão Bolsonaro, foi exonerado. Contudo, Decotelli foi preterido por Weintraub em abril de 2019.

Agora, Bolsonaro avaliou a nomeação de Renato Feder, secretário de Educação do Paraná, e chegou a recebê-lo para uma reunião em Brasília. Um dia depois, no entanto, o presidente anunciou a nomeação de Decotelli pelas redes sociais.

Previous ArticleNext Article