Defesa de blogueiro preso por atos antidemocráticos nega tentativa de fuga

Angelo Sfair

Oswaldo Eustáquio é solto com restrições por Alexandre de Moraes

A defesa do jornalista-ativista Oswaldo Eustáquio nega que o investigado tinha planos de fugir do Brasil. O suspeito foi detido nesta sexta-feira (26) pela Polícia Federal, em Campo Grande (MS), a cerca de 300 km de fronteira com o Paraguai.

O militante, que agora atua como blogueiro bolsonarista, teve o mandado de prisão autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito que investiga os atos antidemocráticos no STF (Supremo Tribunal Federal).

Anteriormente, ele havia sido alvo de mandados de busca e apreensão. A primeira ação aconteceu há duas semanas, quando foi presa a extremista Sara Giromini,  conhecida como Sara Winter.

No pedido de prisão contra Oswaldo Eustáquio, a PF argumentou que havia risco de fuga do investigado, o que a defesa do blogueiro nega.

“Oswaldo tem fortes laços familiares com a região fronteiriça onde estava e sempre a frequentou”, diz a nota, assinada pelo advogado criminalista Elias Mattar Assad.

De acordo com a PGR (Procuradoria-Geral da República), Eustáquio defende a “ruptura institucional de maneira oblíqua”. Conforme a Lei de Segurança Nacional, a conduta pode ser considerada criminosa.

O advogado que representa o jornalista reconhece que, “vez ou outra”, o militante pode ter ofendido cidadãos, magistrados, membros do MP, advogados ou policiais.

“Mas levar jornalistas ao calabouço, pelo uso da palavra escrita ou falada, mesmo por militância política, exige melhor reflexão e ponderação, pelo perigosíssimo precedente”, ponderou Assad.

Preso na sexta-feira (26), Oswaldo Eustáquio é próximo da extremista Sara Winter, que deixou a cadeia um dia antes, na quinta (25). Monitorada por tornozeleira eletrônica, ela cumpre prisão domiciliar por ordem de Alexandre Moraes.

Previous ArticleNext Article