Palocci coloca tornozeleira e segue para prisão domiciliar

Andreza Rossini e Cristina Seciuk - CBN Curitiba


O ex-ministro Antonio Palocci deixou a sede Polícia Federal, em Curitiba, por volta das 15h30 desta quinta-feira (29). A partir de agora ele vai cumprir pena em regime semiaberto diferenciado, em prisão domiciliar com monitoramento eletrônico.

Palocci seguiu para a sede da Justiça Federal onde vai colocar a tornozeleira, acompanhado de seu advogado. Ele deixou o local por volta de 18 horas e vai cumprir prisão domiciliar, em São Paulo.

A decisão foi tomada ontem pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). O Ministério Público já informou que vai recorrer da decisão.

Ele foi condenado a nove anos e dez dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no âmbito da Operação Lava Jato. Na primeira instância ele havia sido condenado a 12 anos e 2 meses de prisão. Ele está detido desde setembro de 2016 na sede da Polícia Federal, em Curitiba.

O ex-ministro vai arcar com os custos mensais da utilização do aparelho, de R$ 149.

Com a nova decisão, Palocci poderá deixar a residência apenas para trabalhar. Ele vai precisar dormir e passar os finais de semana com o monitoramento. O local onde o ex-ministro vai morar não foi informado pelos advogados.

Ele recebeu os benefícios devido a delação premiada. A ação investiga o pagamento de propinas da Odebrecht para firmar acordos com a Petrobras.

Ainda cabe recurso de embargos de declaração à decisão da 8ª Turma e, por não ter sido unânime o julgamento do colegiado, o de embargos infringentes.
Previous ArticleNext Article