Paraná aposta na organização do comércio para evitar lockdown, diz Ratinho Junior

Vinicius Cordeiro

lockdown paraná curitiba covid academias bares

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), disse que o Estado descarta o lockdown neste momento da pandemia da Covid-19 e que o trabalho está sendo feito para a organização do comércio e na conscientização das pessoas. Ele falou sobre o tema nesta sexta-feira (19) em entrevista coletiva, por videochamada, após divulgar as principais medidas de dois novos decretos. Um deles, específico para Curitiba e Região Metropolitana, autoriza a abertura de bares e academias, mas diz que respeitará caso a prefeitura determine o fechamento das mesmas.

“Não vai ter lockdown no domingo, nunca foi cogitado isso. Claro que essa é uma medida que respeitamos que alguns Estados tenham feito. Nós não descartamos, claro que se houver um descontrole da questão da transmissão do vírus ou não tiver uma consciência coletiva da população, é natural que essa é uma medida mais extrema. Mas, por enquanto, não cogitamos isso e estamos trabalhando nessa organização do comércio para que a gente não tenha que chegar nesse estágio”, disse Ratinho Junior.

Durante a live, o secretário de Saúde, Beto Preto, divulgou também os números do coronavírus no Paraná. São 868 novos casos – recorde de registros em 24 horas – e 13 óbitos nesta sexta-feira (19). Com isso, o Estado totaliza 12.785 pessoas contaminadas e 419 mortes.

Sobre o panorama geral da Covid-19 no Paraná, Ratinho ainda fez um novo apelo para que a população respeite as medidas de restrição.

“De nada adianta as prefeituras, o governo do Estado, se o cidadão não colaborar. Temos que entender que estamos em um momento de pandemia e nos limitar nas coisas que fazíamos na normalidade”, completou.

GOVERNO DO PARANÁ DIZ QUE VAI RESPEITAR MUNICÍPIOS QUE DETERMINAREM FECHAMENTO DE BARES E ACADEMIAS

O governo estadual trabalhou dois decretos diferentes: um que abrange novas medidas restritivas em todo o Paraná e outro apenas em Curitiba e Região Metropolitana, onde a Covid-19 é mais presente neste momento.

As principais medidas anunciadas para todo o Estado foram a proibição da venda e no consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos após às 22h.

Já para Curitiba e RMC, estão a limitação de horários para comércio de rua, que inclui as galerias, e shoppings centers, que podem abrir das 10h às 16h e das 12h às 20h, respectivamente. Vale lembrar que a restrição de horários já tinha sido definida pela prefeitura de Curitiba quando foi publicado o “decreto da bandeira laranja”, no último sábado (13). Contudo, a diferença é que o governo estadual permite a abertura do comércio varejista aos finais de semana enquanto os shoppings têm proibição de funcionamento.

Academias e bares, para a administração estadual, podem funcionar desde que respeitem as regras de higiene, como uso de álcool gel, e distanciamento social.

“No nosso decreto, as restrições que existem é para que não hajam aglomerações. As academias e bares têm regras. O que estamos combatendo são as aglomerações e não a abertura desses estabelecimentos. Deixando muito claro: se um prefeito ou um município entender que deve ter uma restrição maior, o governo do Estado vai respeitar a questão local. Neste decreto, podem tocar sua vida com as restrições que a Secretaria de Saúde colocou há muito tempo”, declarou Ratinho.

Em Curitiba, um grupo de empresários, integrantes do movimento “Fechados pela Vida”, lançou um abaixo-assinado para o fechamento total das atividades e já conta com mais de 12,5 mil assinaturas.

Previous ArticleNext Article