Governo do Paraná adota táxi no transporte dos servidores e reduz frota de carros oficiais

Redação

governo do paraná taxi decreto

O governo do Paraná adotou o táxi como meio de transporte oficial dos servidores para reduzir a frota de carros oficiais. A medida foi adotada por meio do decreto 5.822/20, assinado pelo governador Ratinho Junior (PSD) nesta semana, e pretende gerar uma economia de quase R$ 500 mil por mês.

O decreto proíbe o uso de veículos oficiais para deslocamento de agentes públicos na realização de atividades de caráter administrativo, tais como reuniões, encontros, palestras, debates ou treinamentos. O servidor que precisar se deslocar do local de trabalho deve usar o TaxiGOVPR, um sistema semelhante aos aplicativos de transporte. De acordo com o governo, mais de 17 mil usuários já estão cadastrados no serviço.

O programa é vinculado à Secretaria da Administração e da Previdência, que vai determinar o recolhimento de veículos dos órgãos do governo estadual.

“O TaxiGovPR vai trazer uma grande economia para o Paraná, o que será muito importante nesse momento de recuperação econômica devido à pandemia. Vai ainda fomentar a utilização do meio de transporte privado, gerando receita para os taxistas em todo o Estado”, afirmou o secretário Marcel Micheletto.

O decreto ainda reforça que todos os gestores devem dar preferência a reuniões pela internet, em caráter não presencial, devido à pandemia de coronavírus. De acordo com o último boletim, o Paraná tem mais de 181 mil infectados e 4.530 mortes por covid-19.

PARANÁ ESTIMA ECONOMIA DE MEIO MILHÃO POR MÊS

A substituição dos carros oficiais pelo TaxiGOVPR deve gerar uma economia de praticamente R$ 500 mil por mês. A administração estadual defende que a estratégia reduz gastos com motorista, combustível, manutenção e conservação dos veículos.

O governo do Paraná diz que um carro oficial gasta, em média, R$ 6,66 por quilômetro rodado e que o valor com o TaxiGOV cai para R$ 3,34. Além disso, também fala que cerca de dois mil carros oficiais serão recolhidos até o final de 2021.

Os servidores que ainda têm dúvida em como usar o novo sistema pode acessar o site do serviço, que contém o passo a passo.

Previous ArticleNext Article