Política
Compartilhar

Parlamentares lamentam agressão russa na Ucrânia

Cresce no Paraná, o número de leitores do Paraná Portal que vem se solidarizando com o povo ucraniano que sofre com a agressão estúpida da Rússia.

Pedro Ribeiro - 25 de fevereiro de 2022, 15:38

Foto/Divulgação Alep
Foto/Divulgação Alep

Cresce no Paraná, o número de leitores do Paraná Portal que vem se solidarizando com o povo ucraniano que sofre com a agressão estúpida da Rússia. Na Assembleia Legislativa, o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) criticou a invasão russa: “A minha imensa solidariedade ao povo ucraniano. Meu repúdio a essa agressão à Ucrânia e ao povo ucraniano. A guerra não serve para nada. Ou se negocia a paz ou teremos piores desdobramentos”, disse Romanelli.

O deputado destacou que o Paraná possui uma comunidade formada por cerca de 500 mil ucranianos e descendentes. “O Paraná possui fortes laços culturais, afetivos e econômicos. As pessoas estão sofrendo muito por tudo o que está acontecendo


Membro da Comissão Permanente do Mercosul e Assuntos Internacionais, o deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) divulgou uma carta aberta para expressar sua solidariedade a todos os ucranianos e descendentes que moram no Paraná, após a invasão da Ucrânia pela Rússia. “Estamos unidos em oração pedindo a paz naquela região”, afirmou, destacando que o trabalho dos ucranianos marcou a formação étnica e cultural do Estado.


O ex-prefeito de União da Vitória, Santin Roveda (PL), defendeu uma ação mais propositiva de todos os segmentos da sociedade em relação ao conflito bélico que vem impondo perdas de vida e sofrimento ao povo ucraniano. "Eu sempre digo que apenas ser contra é pouco, é preciso tomar uma atitude. Já diz o ditado popular que saber e não fazer, não é saber. O mesmo ocorre nisso que classifico como um verdadeiro massacre a Ucrânia", disse.

O Brasil e o Paraná, aponta Santin Roveda, recebem bem os estrangeiros de todas as comunidades: árabe, italiana, haitiana, entre outras, além dos refugiados de países em graves conflitos. "Veja o exemplo da Síria, recebemos bem as pessoas daquele país que passa por …