Paulo Guedes é o único a usar máscara em pronunciamento de Bolsonaro

Redação

paulo guedes, máscara, aglomeração, jair bolsonaro, sergio moro, pronunciamento

O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi o único a aparecer com máscara no pronunciamento desta sexta-feira (24) convocado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O chefe do Executivo comentou o pedido de demissão de Sergio Moro.

Contrariando as recomendações de distanciamento social, Bolsonaro apareceu rodeado por 22 aliados — entre eles ministros, deputados, e o filho, Eduardo. Paulo Guedes foi o único do grupo a usar máscara de proteção.

Até mesmo o ministro da Saúde, Nelson Teich, figurou entre os asseclas e desrespeitou as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do próprio ministério.

VEJA O PRONUNCIAMENTO DE JAIR BOLSONARO

MORO PEDE DEMISSÃO E ACUSA PRESIDENTE

O agora ex-ministro Sergio Moro pediu demissão do Ministério da Justiça após um ano e três meses no cargo. Em pronunciamento de 38 minutos, ele afirmou que não podia mais persistir no “compromisso que assumiu”. Conforme ele, os compromissos eram: combate à corrupção, ao crime organizado e à criminalidade violenta.

O estopim para a saída foi a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Assim, o então ministro perdia um homem de confiança desde os tempos da operação Lava Jato. De acordo com Moro, ele só ficou sabendo da exoneração por meio do Diário Oficial. Além disso, ele não teria assinado o documento.

Sergio Moro disse que, em conversa com o presidente Jair Bolsonaro, alertou que a troca sem motivos na direção da Polícia Federal poderia ser uma interferência política. E que recebeu como resposta de Bolsonaro: “seria mesmo”.

O ex-juiz e agora ex-ministro Sergio Moro também afirmou que tem um compromisso com o Estado de Direito. E que, por isso, não poderia permanecer no cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública.

Previous ArticleNext Article