Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco são condenados a indenizar petroleiros

Angelo Sfair

petroleiros, fup, greve, operação lava jato, lava jato, paulo roberto costa, pedro barusco, indenização, condenados, petros, petrobras

Em meio à greve dos petroleiros, a Justiça do Rio de Janeiro condenou os ex-executivos da Petrobras Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco a pagarem uma indenização por danos morais aos trabalhadores da empresa. Ambos foram investigados e condenados por corrupção na Operação Lava Jato.

O ex-diretor de Abastecimento e o ex-gerente de Serviços da Petrobras terão de pagar R$ 500 mil cada um. Eles já haviam sido condenados pelas mesmas razões em 2016. No entanto, a primeira sentença foi anulada.

Por isso, o caso foi reavaliado pela 11ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A juíza Lindalva Soares Silva publicou a sentença nesta terça-feira (18). Conforme a decisão, os recursos devem ser destinados à Petros (Fundação Petrobras de Seguridade Social).

De acordo com a juíza, a corrupção investigada na Operação Lava Jato “causou profunda repulsa no meio social e desconfiança da honra da empresa, que teve seu patrimônio lesado em milhares de dólares”.

No entendimento da juíza, além da Petrobras, os petroleiros também foram prejudicados pelos atos de corrupção confessados por Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco, que são delatores da Operação Lava Jato.

“A companhia passou a ter um profundo descrédito no mercado fazendo com que diversos contratos e obras relacionadas à exploração do ‘pré-sal’ fossem paralisados ou mesmo cancelados como forma de sanear e reduzir as despesas da empresa causando profunda frustração aos empregados que trabalharam duramente no projeto”, pontuou.

PETROLEIROS EM GREVE

Conforme a FUP (Federação Única dos Petroleiros), a ação contra Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco foi movida em 2015.

“O ganho dessa causa, num momento de tamanha luta, representa muito para nós petroleiros”, afirmou o diretor da FUP Deyvid Bacelar. A categoria está em greve há 19 dias contra as demissões promovidas pela Petrobras.

A federação pedia indenização por danos morais avaliada em R$ 1 milhão para cada réu. No entanto, a 11ª Vara Cível do Rio de Janeiro decidiu condená-los à metade do valor solicitado.

Alvos da Operação Lava Jato e condenados por corrupção, Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco ainda podem recorrer da decisão. Eles não foram encontrados pela reportagem.

Previous ArticleNext Article