Pedido de vista adia julgamento de recurso de Eduardo Cunha no TRF4

Fernando Garcel


O desembargador Victor Laus pediu vista do recurso impetrado pela defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha em processo que tramita no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no âmbito da Operação Lava Jato, na sessão do julgamento desta quinta-feira (16).

Perícia confirma autenticidade de mensagens em celular de Cunha

Em março de 2017, o juiz federal Sérgio Moro condenou Cunha a 15 anos e quatro meses de prisão pelos crimes de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. O ex-deputado recorreu da sentença ao TRF4. A corte, em novembro do ano passado, julgou a apelação criminal e manteve a condenação, apenas diminuindo a pena para 14 anos e seis meses.

Alegando divergências nas argumentações e na fixação do tempo de pena por parte dos desembargadores que julgaram a apelação na 8ª Turma do tribunal, a defesa do político impetrou o recurso de embargos infringentes. Os embargos não foram conhecidos pelo desembargador federal Leandro Paulsen, relator do acórdão da apelação na 8ª Turma.

Claudia Cruz vai cumprir pena em regime aberto e TRF4 derruba confisco de R$ 670 mil

Contra essa decisão, o réu interpôs um novo recurso, chamado de agravo regimental, pedindo a revisão da aceitação dos embargos ao seu favor.

Após a desembargadora federal Cláudia Cristina Cristofani levar seu voto sobre o agravo regimental na sessão de julgamento desta tarde, o desembargador Laus pediu vista do processo. O julgamento do recurso deve ser retomado nas próximas sessões da 4ª Seção do tribunal.

 

Previous ArticleNext Article