Política
Compartilhar

Pedido de vista adia votação de reajuste de 1% aos servidores

Um pedido de vista do deputado Tadeu Veneri (PT) travou, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legis..

Roger Pereira - 26 de junho de 2018, 16:22

Pedro de Oliveira/Alep
Pedro de Oliveira/Alep

Um pedido de vista do deputado Tadeu Veneri (PT) travou, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, a apreciação do projeto de Lei de proposição do governo do Estado concedendo reajuste de 1% ao servidores públicos estaduais vinculados ao Poder Executivo., impedindo que a proposta fosse votada na comissão a tempo de ser apreciada pelo plenário da Casa já nesta terça-feira. O próprio Veneri admitiu que o pedido foi uma manobra para dar mais tempo para os servidores tentarem negociar com a governadora Cida Borghetti (PP) e para a bancada de oposição apresentar uma emenda aumentando o índice de reajuste para 2,76% igualando a inflação dos últimos 12 meses e equiparando ao índice proposto para os servidores dos poderes Legislativo e Judiciário, além dos servidores do Ministério Público e Tribunal de Contas.

"Pedi vista em função de um acordo que fizemos com os servidores, porque há a intenção do Fórum dos Servidores de seguir negociando com a governadora até a próxima semana. Além disso, vamos apresentar uma emenda para garantir os mesmos 2,76% para o Executivo, mas precisamos indicar de onde tirar esse recurso. É isso que estamos fazendo hoje. Amanhã, na sessão extraordinária da CCJ, eu apresento essa emenda, e, na segunda ou terça-feira ela vai para plenário", disse Veneri.

O presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB) afirmou que a Casa seguirá sua agenda, votando, nesta terça-feira, os projetos já pautados, inclusive o de reajuste de 2,76% para os demais poderes. "Teve pedido de vista na CCJ, vai ser apreciado amanhã, e eu pauto para semana que vem. Não tem como eu pautar isso amanhã. Seguirei com nosso cronograma normal", disse. No entanto, por um acordo de lideranças, os projetos de reajuste acabaram retirados de pauta.

Como o principal argumento do fórum dos servidores é o de isonomia, que o reajuste dos funcionários do Executivo não poderia ficar abaixo do concedido ao Legislativo e Executivo, a governadora Cida Borghetti enviou, nesta terça-feira, uma carta aos chefes dos demais poderes, solicitando que revisem sua proposta de reajuste também para 1%. O presidente da Assembleia já respondeu negativamente ao pedido da governadora. "Ela tem que entender que esse reajuste está previsto nos Orçamentos. Os Orçamentos são seus, está dentro da sua programação financeira e eles não abrem mão desse percentual", disse.

Veneri ironizou o pedido. "É muito estranho. É como você dizer que vai perder um braço e, ao invés de você não perder seu braço, todos perderem também. É, no mínimo, esdruxulo. Ela está propondo que todos os servidores tenham a mesma perda. É óbvio que não votaremos em hipótese alguma, nem que os Poderes mandem esse projeto. Se o Estado quer correr o risco de dar um calote, não pode pedir que todos deem calote igual", disse.