Justiça determina leilão de carros de Pepe Richa, réu na Operação Integração

Francielly Azevedo - CBN Curitiba

pepe richa, beto richa, integração, lava jato, leilão, carros

A Justiça Federal do Paraná determinou a venda por meio de leilão de dois carros que pertencem ao ex-secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, conhecido como Pepe Richa. O irmão do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) é réu na Operação Integração, desdobramento da Lava Jato.

O leilão dos carros atende a um pedido do Ministério Público Federal (MPF), que solicitou a alienação antecipada dos veículos.

Os dois automóveis são um Chevrolet Spin e uma Mitsubishi ASX. O magistrado determinou que as vendas serão feitas por meio de leilão eletrônico a fim de alcançar o maior número de propostas. Segundo o juiz, Pepe Richa deve entregar os dois carros ao leiloeiro em um prazo estimado pela organizadora.

A empresa que fará o leilão judicial também foi intimada a designar a data e hora para realização da 1ª e 2ª hastas públicas. O dinheiro da arrematação deve ser depositado em conta vinculada à Justiça.

Conforme a decisão, “a alienação antecipada de bens apreendidos judicialmente é medida cabível quando justificada a ocorrência da sua desvalorização econômica, ante a reconhecida complexidade da ação penal e o decurso considerável do tempo até o trânsito em julgado da sentença final”.

O MPF aponta que Pepe Richa teria participado de um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo contratos de pedágio do Anel de Integração. De acordo com os delatores, as concessionárias pagavam propina a agentes públicos do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) e da Agência Reguladora do Paraná (Agepar) em troca de vantagens indevidas, como a aprovação de aditivos contratuais. Os pagamentos mensais chegavam a R$ 240 mil, segundo os procuradores da Lava Jato.

O ex-secretário, que é réu na ação penal, foi preso em 26 de setembro do ano passado durante a segunda etapa da Operação Integração, equivalente a fase de número 55 da Lava Jato. Ele foi solto após uma decisão do Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

O advogado Rodrigo Faucz, que defende Pepe Richa, afirmou que a defesa ainda não foi intimada e só irá se manifestar após isso ocorrer.

Previous ArticleNext Article