Bombeiros controlam vazamento de amônia em unidade de Petrobras no Paraná

Redação

petrobras, fafen-pr, fafen, ansa, araucária, curitiba, paraná, vazamento, amônia, bombeiros, fup, federação única dos petroleiros, demissões, greve

Um vazamento de amônia identificado na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), em Araucária, na Grande Curitiba, teria sido controlado com o apoio do Corpo de Bombeiros na madrugada deste sábado (1º). O incidente foi registrado em meio ao fechamento da fábrica anunciado em janeiro pela Petrobras, que motivou a greve nacional dos petroleiros anunciada hoje.

Conforme a FUP (Federação Única dos Petroleiros), o vazamento pode estar relacionado à paralisação da caldeira, determinada pela estatal para acelerar o fechamento da unidade.

Por questões de segurança, os trabalhadores decidiram deixar a fábrica na tarde deste sábado (1º). Os funcionários se revezam na porta da unidade há 12 dias.

Os protestos começaram quando a Petrobras anunciou o encerramento das atividades da Fafen-PR. Conforme os sindicatos ligados à categoria, a medida causará o fechamento de cerca de mil postos de trabalho.

PETROLEIROS REALIZAM PROTESTOS EM UNIDADES DA PETROBRAS

Os trabalhadores protestam contra o anúncio do encerramento das atividades de duas unidades da Petrobras em Araucária. A estatal pretende fechar as plantas da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná e da Araucária Nitrogenados S.A (Ansa).

A greve tornou-se nacional neste sábado (1º), após deliberação da categoria e a mobilização não tem data para encerrar.

Conforme a FUP, medida descumpre os compromissos assumidos na negociação do Acordo Coletivo de Trabalho vigente em 2019 e 2020. A Petrobras nega e considera o movimento grevista “descabido”.

Além disso, a Petrobras afirma que o encerramento das duas unidades que operam em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, se deve aos prejuízos acumulados nos últimos anos e a previsão pessimista para este ano.

petrobras, fafen-pr, fafen, ansa, araucária, curitiba, paraná, vazamento, amônia, bombeiros, fup, federação única dos petroleiros, demissões, greve
De acordo com a FUP, 3 mil empregos diretos e indiretos serão extintos pela Petrobras. (Foto/Divulgação)

PREJUÍZOS AMBIENTAIS E ECONÔMICOS

De acordo com a FUP, o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná também traz riscos para segurança da comunidade de Araucária, devido à possibilidade de novos vazamentos de amônia. Além disso, a federação aponta que o encerramento das duas plantas deve ocasionar um prejuízo econômico para a região.

Juntas, Fafen-PR e Ansa representam 1.000 empregos diretos e cerca de 2.000 empregos indiretos.

Dados apresentados pelo Ineep (Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Zé Eduardo Dutra) indicam que os empregos movimentam cerca de R$ 75 milhões por ano.

Previous ArticleNext Article