Política
Compartilhar

Polícia Federal veta visita de assessor de papa a Lula

O assessor do papa Francisco  para assuntos de justiça e paz, Juan Grabois, foi impedido de visitar o ex-presidente Lula..

Roger Pereira - 11 de junho de 2018, 17:51

Foto Eduardo Matysiak agência PT
Foto Eduardo Matysiak agência PT

O assessor do papa Francisco  para assuntos de justiça e paz, Juan Grabois, foi impedido de visitar o ex-presidente Lula pela superintendência da PF, sob argumento de que não é líder religioso. Grabois trouxe um rosário para Lula, que disse ser enviado pelo Papa. A Polícia Federal comprometeu-se em entregar o rosário a Lula.

A visita estava programada para às 16h desta segunda-feira, dia em que o ex-presidente vem recebendo visitas religiosas após autorização da Superintendência da Polícia Federal do PAraná, em acordo negociado com a defesa de Lula.

Segundo o próprio Grabois, sua visita foi vetada pelos policiais federais por ele não ser um sacerdote consagrado. “Muito preocupado com a deterioração da democracia no país, vinha para uma visita que já estava previamente agendada e fui surpreendido pelo impedimento de visitá-lo”, disse.

“Não compreendo as autoridades me barrarem por questões teológicas, por considerarem que não sou um sacerdote consagrado. Todos os batizados somos discípulos religiosos e temos uma missão a cumprir. Surpreende que as autoridades daqui não tenham esse conhecimento”, acrescentou. “Visitei presos em situações similares em vários locais do mundo e nunca me deparei com uma negativa desta natureza”, disse.

Grabois disse que, além do rosário, deixou uma carta manuscrita a Lula e espera receber uma resposta.