Política
Compartilhar

Presidente da Caixa fazia parte de 21 conselhos e salário chegava a R$ 230 mil

Ex-presidente da Caixa participava de 21 conselhos de empresas do governo e seu salário chegava a R$ 230 mil.

Redação - 04 de julho de 2022, 16:40

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

 

Deu no O Antagonista desta segunda-feira, 04. O Ministério Público pediu ao Tribunal de Contas da União investigação sobre o acúmulo de cargos de Pedro Guimarães quando ele estava à frente da Caixa. Segundo informações que chegaram ao MP junto ao TCU, Guimarães fazia parte de 21 conselhos deliberativos do banco público e recebia, mensalmente, R$ 230 mil por essas funções.

Mais cedo, como registramos, a Corte de Contas também instaurou procedimento para apurar as denúncias de assédio sexual envolvendo Guimarães.

Segundo a denúncia do MP junto ao TCU, a Constituição Federal veda “as acumulações remuneradas de cargos, empregos e funções na administração direta”.

“A regra, portanto, é a inacumulabilidade, a qual intenta impedir que um mesmo indivíduo ocupe vários cargos ou exerça várias funções, sendo remunerado por cada um deles, sem que desempenhe, de forma eficiente, as atividades que lhes são pertinentes”, registra a representação do MP.