Em prestação de contas na Alep, governo do Paraná não garante reajuste para servidores

Felipe Harmata - BandNews FM Curitiba

O governo do Estado não garante que vai aplicar o reajuste nos salários dos servidores estaduais em 2019. O secretário da Fazenda, Renê Garcia Júnior, foi até a Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (5) para fazer um balanço das contas públicas do Estado do primeiro quadrimestre do ano.

Mesmo sem falar claramente que não vai aplicar o aumento nos salários para os servidores, o secretário disse que a crise deve se agravar no segundo semestre e ele não quer que o aumento das despesas comprometa a saúde financeira do Paraná. O funcionalismo está com os salários congelados desde 2016. O secretário também disse que medidas de controle de corte de despesas vão ser necessárias.

Os dados apresentados mostram um incremento de 1 bilhão de reais na arrecadação do ICMS, em relação ao mesmo período de 2018. O número é 2,5% maior que o do ano passado. Em compensação a receita total teve queda real de 4,86% no primeiro quadrimestre em relação ao mesmo período do ano passado.  O ICMS e o ITCMD são responsáveis por 73% das receitas do Estado. Segundo o líder do governo na Assembleia, Hussein Bakri (PSD), do ponto de vista técnico, não há margem para o aumento salarial dos servidores.

Representando 64,5% do total das despesas, o gasto com pessoal foi de R$ 17 bilhões nos últimos 12 meses. Segundo o deputado Professor Lemos (PT) os outros poderes tiveram reposição e por isso o reajuste dos servidores também deveria ser repensada.

A sessão foi acompanhada por servidores públicos e por representantes do FES, o Fórum das Entidades Sindicais do Paraná, que  vaiaram os dados do governo  apresentados na sessão. Os servidores alegam que o Estado tem condições de fazer a reposição da inflação nos salários da categoria sem que o aumento das despesas comprometa a saúde financeira do Paraná.

Previous ArticleNext Article