Contra possível redução de salários, professores fazem “marmitaço” na Seed

Andreza Rossini


Professores e funcionários de escolas estaduais que trabalham no regime PSS (processo seletivo simplificado) fazem um “marmitaço” em frente a sede a Secretaria de Educação (Seed), na manhã desta segunda-feira (13).

A manifestação acontece após o debate sobre a possível redução dos salários da categoria. O objetivo é que a secretária Ana Seres receba a diretoria da App-Sindicato, que representa a categoria e os profissionais. Por meio de nota, secretaria confirmou a reunião com os trabalhadores. “A SEED se comprometeu a levar as reivindicações à Comissão de Política Salarial do Governo do Paraná.”

A Secretaria da Educação se mantém à disposição para o diálogo, como sempre, com o respeito e a civilidade esperados em um país democrático.

De acordo com a Seed, no final da tarde de hoje será realizada uma reunião da Casa Civil para definir todas as medidas para os professores contratados no regime PSS.

O estudo 

Segundo a App-Sindicato, o salário dos professores que trabalham 20 horas semanais no regime PSS seria reduzido em aproximadamente R$ 500, de acordo com o estudo da secretaria.

Hoje, eles recebem cerca de R$ 1,4 mil e os rendimentos mensais cairiam para R$ 900. A medida seria parte do ajuste fiscal do governo.

“Segundo a APP-Sindicato, em reunião com a SEED, foi confirmado um estudo para a redução em R$ 500,00 em cada padrão dos PSS. Isso é um absurdo. Reduzir salário é inconstitucional. Nem mesmo o líder do Governo na Assembleia Legislativa apoia esse absurdo”, afirmou o deputado estadual Professor Lemos (PT), que divulgou a informação na última semana.

Neste ano, o governo contratou cerca de 20 mil professores PSS para completar o quadro de educadores. A expectativa é que o número de contratados seja semelhante em 2018.

 

 

 

Previous ArticleNext Article