Política
Compartilhar

Veja propostas de candidatos para principal preocupação dos curitibanos

(Metro Jornal Curitiba)Segundo as pesquisas, a saúde é a principal preocupação dos curitibanos neste ano. Segundo o pref..

Narley Resende - 26 de setembro de 2016, 09:02

(Metro Jornal Curitiba)

Segundo as pesquisas, a saúde é a principal preocupação dos curitibanos neste ano. Segundo o prefeito e candidato à reeleição Gustavo Fruet (PDT), pela primeira vez na história município gasta mais com saúde do que a União.

A deputada estadual e candidata Maria Victória (PP) propõe sistema de confirmação das consultas para evitar o não-comparecimento. Para o deputado estadual e candidato Ney Leprevost (PSD), saúde é o principal desafio da cidade. Ele promete ‘Fila Zero’ nos atendimentos. O ex-prefeito e candidato Rafael Greca (PMN) promete que marcar consulta médica não será mais uma tarefa difícil para os curitibanos.

O deputado estadual e candidato Requião Filho (PMDB) promete mutirões semanais de especialidades para reduzir as filas para atendimento. O deputado estadual Tadeu Veneri (PT) destaca que hoje 80% dos pacientes das UPAs poderiam ter procurado unidades básicas.

saúde

Sem títuloGUSTAVO FRUET (PDT)

Prefeito diz que vai aumentar a quantidade de unidades com horário estendido e ampliar possibilidade de agendamentos por telefone.

"A saúde teve atenção especial e altos investimentos durante a gestão. Tivemos como missão melhorar o acesso de pessoas a atendimentos com qualidade, equidade e humanização. Avançamos muito nos últimos três anos e meio e avançaremos mais. Até o final de 2016 entregaremos 98 das 109 unidades de saúde revitalizadas.

Já entregamos a UPA Matriz e construímos a UPA Tatuquara que entrará em funcionamento em breve, além de reformarmos outras quatro. A UPA Boqueirão está em reforma no momento.

Desde 2013, foram contratados 908 médicos para trabalhar no SUS Curitiba – 735 via FEAES e 173 diretamente pelo Município. No total, mais de dois mil profissionais foram contratados para atuar na área da saúde somente nesta gestão.

Pela primeira vez na história da cidade, Curitiba investiu mais no SUS (Sistema Único de Saúde) que o Governo Federal. Mas precisamos avançar muito mais. Por isso ampliaremos a quantidade de unidades de saúde que trabalham com horário de atendimento estendido e o número de unidades que trabalham com agendamento por telefone.

Vamos implantar novas US em áreas de maior densidade populacional como nas Regionais do Bairro Novo, Boa Vista, Cajuru e Pinheirinho; disponibilizar atenção especializada e serviços de apoio diagnóstico em cada uma das Regionais; articular e apoiar os municípios da Região Metropolitana na melhoria de seus serviços do SUS e ampliar serviços de prevenção ao uso de drogas, doenças sexualmente transmissíveis, violência e suicídio, com ênfase em populações de maior vulnerabilidade.

Na cobertura de atenção básica, já ampliamos de 47 para 59% da população e vamos melhorar esse índice."

maria victoriaMARIA VICTÓRIA (PP)

Candidata diz que sistema precisa da contrata- ção de mais médicos. Ela ainda aposta na utilização intensiva da telemedicina.

"Na saúde, precisamos em primeiro lugar de mais médicos, em número suficiente para substituir os profissionais que saem de férias ou licença – o que não acontece hoje. Também temos que incentivar os médicos que atendam nas regiões mais carentes e reavaliar os processos internos nas Unidades Básicas de Saúde, para que o atendimento seja mais humanizado.

Vamos incrementar ainda o sistema de triagem e confirmação das consultas, para evitar o não- -comparecimento e reduzir as filas.

Na minha gestão, colocaremos a tecnologia a serviço da saúde, em ações como aplicativos integrados, um portal com a participação de médicos e pacientes e a telemedicina, que já é utilizada com sucesso em instituições como o Hospital Pequeno Príncipe em convênio com o Childrens Hospital de Pittsburgh, nos EUA: trata-se de um computador ligado a uma webcam, que serve de suporte ao médico que presta o atendimento, para uma segunda opinião remota de um especialista.

Outra necessidade é um número maior de postos de saúde abertos até as 22 horas. Também vamos promover o apoio e orientação médica preventiva e educacional em saú- de nos domicílios através dos agentes comunitários de saúde e da ação social; inclusive para melhorar o atendimento aos dependentes químicos.

É preciso promover a capacitação de mé- dicos especialistas em Saúde da Família, dos profissionais e gestores da Saúde e melhorar a qualidade e as condições de trabalho dos agentes de saúde."

ney-leprevost7NEY LEPREVOST (PSD)

Deputado pretende expandir a rede de parcerias da prefeitura. Pacientes ainda terão cartão saúde, com prontuário médico.

"O principal desafio de Curitiba é a saúde pública, por isso vamos usar a gestão Inteligente na administração da cidade, com o uso intensivo das tecnologias digitais em benefício da população. A marcação de consultas será online e vamos promover a Fila Zero.

Novos ambulatórios de especialidades serão criados e vamos expandir a rede de parceiros para cirurgia. Os bairros terão mutirões de saú- de preventiva e será implantado o programa saú- de em casa. Os usuários da rede terão o cartão saúde, dotado de chip para armazenamento das informações do prontuário médico, para consultas mais eficientes.

Vamos implantar o Centro de Diagnóstico para ofertar mamografia digital, tomografia computadorizada e ressonância magnética. As regiões norte e sul terão o PAI - Pronto Atendimento Infantil e, em parceria com o Hospital Erasto Gaertner e a Liga Paranaense de Combate ao Câncer, será construído o primeiro hospital oncopediátrico do sul do país.

Curitiba será referência em saúde da criança, com a implantação do Centro de Excelência de Medicina Infantil a ser construído na Boa Vista em parceria com o Hospital Infantil Pequeno Príncipe. A saúde domiciliar será ampliada com a valorização dos agentes de saúde e o tratamento de doentes crônicos e idosos, de foram mais eficiente e humanizada.

Também vamos disponibilizar a vacina contra gripe H1N1 em março de todos os anos para alunos da rede pública, professores, taxistas, motoristas, cobradores de ônibus, servidores de escolas e da área de saúde."

rafaelgreca_ReinaldoFerrigno-777x437RAFAEL GRECA (PMN)

Ex-prefeito afirma que vai reabrir leitos fechados pela atual gestão, além de contratar 100 novos leitos de UTI e 200 para internamento.

"Vou reorganizar os 109 postos de saúde e as 9 unidades 24 horas, garantindo os medicamentos, materiais para o atendimento e médicos para o trabalho. Marcar consulta não será mais uma tarefa difícil, obrigado as pessoas a saírem no relento de madrugada.

Vou criar um aplicativo de celular para marcar a consulta de médicos. E quem não souber usar o aplicativo terá aulas no farol do Saber e Ruas da Cidadania. Vou reestruturar os programas de prevenção à hipertensão, diabetes e atenção aos idosos com patologias crônicas. Teremos equipes acompanhando os pacientes em casa.

Desta forma vamos diminuir a demanda nas UPAs, que vão se tornar unidades de estabilização de pacientes em urgência, antes de serem transferidos para os hospitais. Vamos reabrir novos leitos hospitalares que estão fechados por falta de recursos da atual gestão da Prefeitura. E garantir até 100 novos leitos de UTI para a rede pública e pelo menos 200 para internamento.

Serão feitos mutirões de consultas para especialidades médicas e também para exames e cirurgias. Será construído um Pronto- -Socorro Infantil Metropolitano e o Hospital do Trabalhador terá um centro de partos de alta complexidade.

No Portão, será criado o Centro de Especialidades Metropolitano para garantir consultas especializadas com cardiologistas, endocrinologistas, geriatras e equipe multidisciplinar (psicólogos, farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas, educador físico, nutricionistas). Curitiba terá Centros de Estabilização Psicológica Públicos para atender os dependentes de drogas e doentes psicóticos, pois não é possível ficar sem atendimento depois do horário comercial."

Requião-Filho-fotoREQUIÃO FILHO (PMDB)

Deputado afirma que vai retornar aos princípios anteriores do Mãe Curitibana, com a centralização dos atendimento

A ideia é reorganizar o sistema de saúde, visando uma gestão eficiente e participativa, com marcação de consultas via internet e otimizar o atendimento à população.

Vamos ampliar o atendimento por especialidades, fortalecer a medicina preventiva, investir em programas de fisioterapia e retomar, o quanto antes, o acompanhamento de doenças crônicas, tais como diabetes e hipertensão.

Realizar mutirão semanal, por escalas médicas de especialidades, iniciando em áreas estratégicas, como otorrino, ortopedia e neurocirurgia. Valorizar servidores da saúde e melhorar as condições de trabalho.

Precisamos também estimular programa de formação continuada aos profissionais, com cursos oferecidos pela própria Secretaria de Saúde. Outra ideia bacana é promover o diagnóstico de saúde coletiva, como forma de mapeamento das necessidades locais.

Vamos também aperfeiçoar atendimento às emergências odontológicas 24 horas, ajustar o protocolo de acolhimento de estratificação de risco à realidade curitibana, principalmente no que se refere ao tempo de atendimento para doenças características da nossa cidade, cardíacas, respiratórias e tropicais. Devolver ao programa Mãe Curitibana seus princípios originais, tais como a centralização do atendimento em unidades especializadas e atendimento com ginecologista obstetra.

Promover pré-natal universal e de qualidade, com identificação e atenção especial a adolescentes grávidas, neste caso, aperfeiçoando e ampliando o acompanhamento também pós-parto. Aperfeiçoar o atendimento do CAPS, incluindo um programa direcionado à mulher portadora de transtornos mentais. Outros projetos estão disponíveis em meu site – www.requiaofilho.com.br.

Foto: Geraldo Bubniak / Metro Jornal Curitiba

TADEU VENERI (PT)

Deputado propõe ‘tutores’, a exemplo dos que já atuam no programa Mais Médicos. Eles melhorariam atendimento e reduziriam as filas

As filas no atendimento a especialidades figuram entre os principais problemas enfrentados por quem precisa usar o sistema público de saúde em Curitiba. Para fazer frente a este problema, propomos a implementação de um processo de tutoria e matriciamento.

Calcula-se que, na média, 80% dos problemas de saúde que levam as pessoas a buscarem atendimento nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) poderiam ser resolvidos já na atenção básica.

A tutoria e o matriciamento são meios eficazes de reduzir o tamanho das filas por consultas especializadas e o atendimento nas emergências médicas.

Por meio do serviço de “tutores” (consultores de referência), que percorrerão constantemente as unidades básicas (UBS) e se reunirão com a equipe de profissionais da saúde que ali atuam, será possível qualificar e melhorar o diagnóstico de doenças, bem como os procedimentos e encaminhamentos por parte da unidade.

Essa tutoria já funciona hoje no suporte aos médicos estrangeiros do programa Mais Médicos. Com o matriciamento, equipes mais especializadas em diversas áreas vão poder prestar um suporte mais específico e preciso (de acordo com a demanda) em apoio aos profissionais das UBSs.

Esses dois processos, associados aos Núcleos de Apoio à Saúde da Família, os NASF, são investimentos para melhorar a resposta à população diante dos problemas de saúde dentro da própria rede.