Política
Compartilhar

Proximidade de Tarcísio de Freitas com 'mini-Doria' gera críticas de bolsonaristas

Um dos pivôs da mais recente polêmica em torno de Tarcísio é Filipe Sabará, ex-secretário-adjunto da Prefeitura de São Paulo em 2017

Mônica Bergamo - Folhapress - 17 de fevereiro de 2022, 09:46

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

A pré-campanha do ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas ao governo de São Paulo já gera divergências nos setores de direita que o apoiam no estado -acirradas com a expectativa de que ele suba nas pesquisas, embalado pelo percentual de apoiadores de Jair Bolsonaro.

O presidente tem 22% de ótimo e bom ente os paulistas, segundo pesquisa do instituto Datafolha feita em dezembro. Um dos pivôs da mais recente polêmica em torno de Tarcísio é Filipe Sabará, ex-secretário-adjunto de Desenvolvimento Social da Prefeitura de São Paulo em 2017, quando o tucano João Doria era prefeito.

Chamado na época de "mini-Doria", ele rompeu com o antigo padrinho político, se filiou ao Novo para ser candidato -e acabou expulso da legenda por, segundo disse na época, divergir de ataques a Bolsonaro feitos pela agremiação. Sabará tem circulado com Tarcísio em alguns compromissos no estado.

Ele foi a um encontro reservado do qual participaram também o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, e o ex-ministro Ricardo Salles. E também apareceu em uma fotografia ao lado do ministro em uma atividade da pré-campanha.

Bolsonaristas de primeira hora passaram a criticar severamente a presença dele nos eventos. A insatisfação foi vocalizada por Kim Paim, que mantém um canal no YouTube e apoia o presidente.

"Me contaram que o Sabará está chefiando a campanha [de Tarcísio]", disse ele em um vídeo, mostrando postagens antigas em que Sabará dizia, por exemplo: "Entre a direita e a esquerda existem os liberais, que trabalham de forma inteligente para construir um país que vai pra frente".

Filipe Sabará afirma que não tem mais nenhuma pretensão de se candidatar a cargos e nega que esteja chefiando a pré-campanha bolsonarista no estado. "É óbvio que vou ajudar [Tarcísio]. Agora, falar que estou na campanha é devaneio de bolsonaristas que querem ser mais bolsonaristas do que outros. O pessoal está em uma ciumeira impressionante", disse ele à reportagem.

Em uma postagem nas redes sobre o assunto, Sabará afirmou que o governo Bolsonaro é o melhor já eleito no Brasil e que continuará apoiando o presidente "de graça".