PT culpa crise política e doações empresariais por maus resultados nas eleições

Mariana Ohde


Com CBN Curitiba

Dirigentes da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniram nesta sexta-feira (7) para avaliar os resultados das eleições municipais deste ano e definir um posicionamento do partido para o segundo turno, que será realizado no dia 30 de outubro na capital, Maringá e Ponta Grossa.

Nestas eleições, o PT perdeu espaço em grande parte do Brasil. No Paraná, onde há 399 municípios, o partido elegeu apenas dez prefeitos. No pleito anterior, em 2012, 41 petistas foram eleitos chefes do executivo municipal. Em 2012, foram eleitos 368 vereadores do PT. Neste ano, o número despencou para 132. O resultado obtido pelo partido está bem abaixo do esperado.

Caixa 2 e doações empresariais

Para o presidente estadual do partido, Enio Verri, os maus resultados podem ser atribuídos a uma soma de fatores. “O principal deles é a gente ter a mesma prática de partidos de direita na questão do financiamento empresarial de campanha. Isso nos levou a boa parte dos problemas que nós temos internamente”, afirma.

“É a questão de denúncias que recebemos de caixa 2, de grandes empresas doando dinheiro para o partido. Porque no financiamento empresarial, o dinheiro pode parecer de graça, mas depois ele é cobrado através de benesses que o governo acaba tendo que fazer”, explica.

“Esse resultado não é só do PT”

O presidente estadual do partido afirma que não é apenas o PT que está em crise, mas toda a política. E que isso se refletiu nas urnas.

“Esse resultado não é só do PT. O número de votos brancos e nulos foi gigante”, afirma, citando o caso de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, onde 43% dos votos, segundo Verri, se encaixam nestes casos. “Isso mostra uma grande crise da política”, diz.

Mudanças no partido

Após a reunião de sexta-feira, a Diretoria Estadual do PT se reúne neste sábado (8) para definir um calendário de mobilizações no Paraná. Os encontros têm como objetivo pensar os próximos passos da legenda.

O presidente estadual do PT confirma que vai haver mudanças no partido, mas os detalhes só devem ser definidos em 2017. “Nosso congresso de março que vai definir. Vamos ter o encontro estadual, o nacional, vamos ouvir toda militância”, afirma, ressaltando que apenas após as reuniões e contribuições de todos será possível definir que mudanças serão feitas.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="390031" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]