Política
Compartilhar

Rafael Greca muda de partido e vai ao PSD, de Ratinho Junior

O prefeito de Curitiba estava no União Brasil, partido resultante da fusão entre o DEM e o PSL. Greca já tinha indicado que não ficaria na nova legenda.

Johan Gaissler - 08 de junho de 2022, 15:26

(Foto: José Fernando Ogura/AEN)
(Foto: José Fernando Ogura/AEN)

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, anunciou nesta semana que irá mudar de partido. Ele vai se filiar ao PSD (Partido Social Democrático) em junho, mesma sigla do governador do Paraná, Ratinho Junior. Greca estava no União Brasil, legenda resultante da fusão entre o DEM e o PSL.

“Aceitei prazerosamente o convite do meu amigo ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. A minha escolha reflete o caminho do equilíbrio tão necessário ao Brasil contemporâneo. E aqui no Paraná se alinha com os bons propósitos do governador Ratinho Junior, penhor do bem que desejamos para a nossa terra e nossa gente”, disse o prefeito curitibano.

A filiação será oficializada em um ato marcado para as 10 horas do dia 25 de junho, na Sociedade Thalia, em Curitiba.

Rafael Greca estava no Democratas desde 2019, legenda que carregou durante a reeleição em 2020. No entanto, o prefeito já teria indicado que trocaria de partido após a fusão entre o DEM e o PSL, que gerou o União Brasil.

Um dos motivos seria estar na mesma sigla de Fernando Francischini, então deputado pelo PSL, que teve o mandato cassado. Francischini foi um dos principais adversários de Greca no último pleito, com direito a acusações durante a campanha.

Houve movimentação também por parte de outro adversário de Rafael Greca. Ney Leprevost, derrotado em 2016 no segundo turno para a Prefeitura de Curitiba, era do PSD e foi para o União Brasil em abril. A mudança já previa uma saída de Greca e evitou que eles estivessem na mesma legenda nas eleições deste ano.

Ney já estava desconfortável com a aproximação do prefeito de Curitiba com o PSD e o grupo ligado ao governador Ratinho Junior. Antes das eleições de 2020, o vice-prefeito Eduardo Pimentel trocou o PSDB pelo PSD, numa articulação que inviabilizou uma revanche com Rafael Greca.

PSD É O OITAVO PARTIDO NA TRAJETÓRIA POLÍTICA DE RAFAEL GRECA

O PSD é o oitavo partido na trajetória política do prefeito de Curitiba, Rafael Greca. Nos anos 80, ele iniciou a vida pública filiado ao extinto PDS (Partido Democrático Social). 

Logo depois, entrou para o PDT (Partido Democrático Trabalhista), sigla que representou durante o primeiro mandato como prefeito de Curitiba, entre 1993 e 1997, apoiado por Jaime Lerner. Quando saiu da prefeitura, foi para o PFL (Partido da Frente Liberal), que viria a se tornar o Democratas anos depois.

Em 2003, mudou de lado na política e foi para o PMDB, partido que tinha como principal nome no Paraná o então governador Roberto Requião. Ficou até 2015, quando foi para o considerado nanico PMN.

Em 2016, foi eleito para a prefeitura de Curitiba pelo PMN, mas com apoio de grandes partidos como o PSDB de Beto Richa. Nas eleições de 2018, o PMN não atingiu a cláusula de barreira nas eleições proporcionais, e isso não daria direito ao partido de ter acesso ao fundo eleitoral e a ter tempo no horário eleitoral no rádio e na televisão.

Por isso, em 2019, Rafael Greca voltou para a legenda de número 25, agora como Democratas. Pelo partido, foi reeleito prefeito de Curitiba em 2020. Em 2021, o DEM se fundiu com o PSL, gerando o União Brasil.

A fusão fez com que Greca novamente mudasse de partido, agora com destino ao PSD.