Política
Compartilhar

Ratinho Junior: Paraná tem força política em Brasília que não tinha há mais de 30 anos

O governador Ratinho Junior declarou que o Paraná voltou a ter uma força na política nacional que não era vista há décad..

Vinicius Cordeiro - 19 de abril de 2020, 10:00

(Rodrigo Felix Leal / AEN)
(Rodrigo Felix Leal / AEN)

O governador Ratinho Junior declarou que o Paraná voltou a ter uma força na política nacional que não era vista há décadas. Segundo ele, isso é resultado na organização das pautas feita entre a administração estadual, deputados federais e senadores, além do bom relacionamento com o presidente Jair Bolsonaro.

"O Paraná tem tido uma força política em Brasília que não tinha há mais de 30 anos. Em Brasília não é no amor, funciona na força. Conheço bem", disse ele em entrevista à Aerp (Associação de Emissoras de Radiodifusão do Paraná) na última sexta-feira (16).

Em meio à pandemia do coronavírus, Bolsonaro tem feito críticas constantes aos governadores e prefeitos. Isso porque, na visão do governo federal, as autoridades locais adotaram medidas exageradas no combate ao coronavírus.

Apesar disso, não houve nenhuma crítica pública entre o Paraná e o governo federal nesse período. Inclusive, esse tem sido o tom da atual gestão do governo paranaense. Em 2019, por exemplo, Ratinho Junior não assinou cartas de governadores contra o decreto de armas de Bolsonaro e nem em defesa do Pacto Federativo.

A relação é tão boa que Ratinho foi o único governador que participou da comitiva de Bolsonaro aos Estados Unidos nesse ano. A viagem foi um convite do presidente para Ratinho ir ao Seminário Empresarial Brasil-Estados Unidos. Contudo, vale lembrar que a comitiva foi quem trouxe a Covid-19 para o país, já que diversos integrantes contraíram o vírus. Sem apresentar sintomas, Ratinho fez o exame e testou negativo.

Agora, em meio à crise do coronavírus, Ratinho Junior elogia a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) em dar autoridade às autoridades regionais para nortear as atividades que devem, ou não, funcionar.

"Foi uma decisão acertada. Uma decisão para o Paraná pode ser boa, mas para o Maranhão pode ser que não seja. É importante deixar essa flexibilização de cada estado poder entender qual a melhor dinâmica econômica e também na área da Saúde", avaliou Ratinho.

CORONAVÍRUS NO PARANÁ

Segundo a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), o Paraná registra 945 casos confirmados e 47 mortes por coronavírus.

Apesar de Ratinho Junior ter admitido que existe um plano para 'fechar tudo' caso seja necessário, o governador prega cautela quanto às decisões.

"Temos que ter, todos os dias, decisões para ver de que maneira a gente consegue preservar a saúde das pessoas e fazer com que o comércio não pare na sua totalidade"..

Segundo ele, o Paraná não entrou em quarentena, mas fechou os locais necessários para evitar aglomerações. Contudo, ele prevê um colapso no sistema de Saúde do país, mas vê o Estado bem organizado.

"Achar que o Brasil não vai ter algum desafio ou problema econômico é enganar nós mesmos. A China teve recessão de 6.8%. Há 24 anos a China não teve recessão. O Paraná está muito organizado, em todas as áreas, para fazer esse enfrentamento e que a gente possa passar por esse período da melhor maneira possível", finalizou.