Ratinho Júnior diz que Paraná pode ter reforma própria da Previdência

William Bittar - CBN Curitiba

ratinho junior reforma da previdência

O governador Ratinho Júnior disse acreditar que estados e municípios ainda podem ser incluídos na Reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional. A afirmação foi feita na manhã desta quarta-feira (21) um pouco antes de o governador participar do 3º Fórum de Gestão Pública Faciap, no Museu Oscar Niemeyer.

Ratinho Júnior, no entanto, ressaltou que se estados e municípios não forem incorporados ao projeto, o Paraná deve fazer uma reforma de previdência própria, pois, o déficit de 2019 deve ser de R$ 800 milhões e a previsão de 2020 é para um déficit de mais de R$ 1 bilhão.

“Nós estamos preparados se a Câmara e o Congresso fizerem essa organização de incluir os estados e municípios. Para nós é muito bom. Se isso não acontecer, o estado, naturalmente, terá de fazer sua nova Previdência. Nós estamos tendo um déficit esse ano de R$ 800 milhões. A previsão para o ano que vem é R$ 1 bilhão de déficit. Isso começa a corroer profundamente as contas públicas e coloca em risco, a médio e longo prazo, que a pessoa que está inativa hoje, não vai receber sua aposentadoria”, disse.

REFORMA ADMINISTRATIVA

O governador também falou sobre a segunda etapa da Reforma Administrativa que foi encaminhada à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) na semana passada. Ratinho Júnior reforçou que essa etapa não é tanto pela economia, mas sim, para enxugar a máquina pública.

“Essa reforma é uma segunda etapa que trata das autarquias, em especial ligadas ao agronegócio, agricultura e assim por diante. Ela traz uma economia de R$ 15 milhões, um valor expressivo.  Qualquer tipo de reforma administrativa, você vai sempre em busca da economia. Mas o objetivo é dar dinamismo para que a prestação de serviços seja mais ágil”, completou.

O governador também ressaltou a utilização da tecnologia para os avanços prometidos para o Paraná e uma nova forma de fazer política, com economia e inovação.

“O Paraná tem sido pioneiro em áreas importantes, em especial na educação. Temos tratado isso com cuidado para ter mais velocidade e prestar o melhor serviço. A educação está mudando. Se você não tiver a tecnologia atrelada ao aprendizado, os jovens acabam não tendo a boa vontade de aprender. Na administração pública, a ideia é criar ferramentas para que você possa ter mais agilidade na prestação de serviços”, conta.

FACIAP

O presidente da Faciap, Marco Tadeu Barbosa, frisou a importância do encontro para incentivar a participação de empresários na construção do Estado. E levantou mais uma vez a preocupação de desburocratizar algumas medidas para facilitar o trabalho das empresas.

“O setor produtivo tem feito seu dever de casa. No Paraná temos uma sociedade civil engajada. Temos a felicidade de ter um bom relacionamento com o poder público e isso ajuda muito. É bom quando o poder público entende as angústias do setor produtivo. Penso que estamos no caminho certo”, finaliza Barbosa.

Além da presença do governador do Paraná, o Fórum de Gestão Pública contou com a participação do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés e do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha Barros Junior.

Previous ArticleNext Article