Política
Compartilhar

Requião diz que espera Ratinho Jr no debate: "Tomara que não fuja"

Alinhado com o ex-presidente Lula, Roberto Requião fez críticas ao atual governo e disse estar confiante mesmo em segundo lugar nas pesquisas.

Redação - 25 de julho de 2022, 19:10

Requião ao lado de Lula durante o evento de filiação ao PT, em março deste ano. (Foto: Franklin de Freitas/Folhapress)
Requião ao lado de Lula durante o evento de filiação ao PT, em março deste ano. (Foto: Franklin de Freitas/Folhapress)

Confirmado no último sábado como candidato ao governo do Paraná pelo PT, Roberto Requião disse nesta segunda-feira (25) que espera estar na presença do atual governador Ratinho Junior (PSD) nos debates eleitorais. 

"Quero que ele venha debater comigo. Tomara que o Rato não fuja. Serei educado, mas ele tem que me explicar muita coisa, como a redução de investimentos no Paraná, os baixos salários dos policiais, as altas nas tarifas de água e luz", disse Requião em entrevista à Rádio Clube, de Ponta Grossa, e e ao Blog da Mareli Martins. 

Crítico a Ratinho, Requião ainda falou ter confiança na própria eleição. Contudo, nas últimas pesquisas, o petista aparece atrás do atual governador. Na pesquisa do Ipespe, divulgada hoje, Ratinho aparece com 51% e Requião com 25%.

"[Ratinho] gastou o dinheiro do povo com propaganda. Subiu as tarifas de água e luz. E o lucro dos acionistas da Copel é caso de cadeia. Sou candidato pra preencher o vazio do Paraná, que não tem governo", completou o candidato do PT.

Requião luta pelo quarto mandato como governador do Paraná. Ele ocupou o cargo entre 1991 e 1994, e 2002 e 2010, com reeleição em 2006. Além disso, foi eleito deputado estadual e prefeito de Curitiba na década de 1980. Requião ainda representou o Estado no Senado Federal de 1995 a 2003 e entre 2009 e 2018.

REQUIÃO DIZ QUE LULA É HONESTO

Além de criticar o atual governador, Roberto Requião ainda fez questão de defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi condenado por corrupção e ficou preso em Curitiba por 580 dias no âmbito da Operação Lava Jato, mas teve as condenações anuladas pelo STF (Supremo Tribunal Federal). 

"O Lula é honesto. Mas teve gente que roubou no governo do PT teve corrupção, mas não o Lula. Eu estou no PT, mas não vou defender ladrão, como o Palocci [ex-ministro da Fazenda no governo do PT]. Mas o Lula não tem nada a ver com isso. Ninguém vai me pedir pra defender bandido. Mas o Lula é o um cara trabalhador e honesto", defendeu Requião.