Retomada dos eventos em Curitiba será debatida em audiência pública

Redação


A retomada dos eventos em Curitiba será retomada em uma audiência pública na próxima sexta-feira (6), a partir das 14h, pela CMC (Câmara Municipal de Curitiba).

O evento é uma iniciativa conjunta dos vereadores Alexandre Leprevost (SD) e Flávia Francischini (PSL), respectivamente primeiro vice-presidente e primeira-secretária da CMC.

Sua realização (407.00025.2021) foi aprovada pelo plenário do Legislativo na sessão plenária desta terça-feira (3). Na ocasião, ambos os parlamentares defenderam não só o apoio ao segmento, mas às famílias que dependem da retomada dos eventos para manter seus sustentos.

Serão ouvidos representantes do setor de eventos e da Prefeitura de Curitiba, como o vice-presidente da Abrape (Associação Brasileira dos Promotores de Eventos), Mac Lovio Solek, o presidente da Abrafesta (Associação Brasileira de Eventos), Júlio César Hezel, o presidente da Abeoc (Associação Brasileira de Empresas de Eventos do Paraná), Fabio Skraba, o empresário e representante do setor de formaturas, Edson Carlos Dallagnol; e a superintendente da Secretaria Municipal de Saúde, Beatriz Batistella.

Também estão confirmadas as presenças de Vaniza Schuler, Mestre em Turismo, que atua junto a empresas organizadoras de eventos, com a Secretaria de Estado do Turismo de Rio Grande do Sul e Ministério do Turismo Embratur; de Paulo Peretti Iglesias, presidente do Curitiba e Região Convention & Bureau; de Lauro Oliveira, coordenador da Família Camisa Preta e do Movimento Salve a Graxa CWB, ação social que arrecada alimentos e produtos de higiene para profissionais que atuam da equipe técnica de eventos de Curitiba e região; entre outros.

O debate será virtual e com transmissão pelas redes sociais do Legislativo: YouTubeFacebook e Twitter.

RETOMADA DOS EVENTOS EM CURITIBA

Em junho de 2021, a necessidade da retomada dos eventos em Curitiba foi defendida na Tribuna Livre da CMC. Na ocasião, o presidente da Abeoc/PR, Fabio Skraba apontou que, com a paralisação deste segmento na pandemia, o Paraná deixou de movimentar R$ 25 bilhões em 15 meses.

Só na capital, cerca de 3.500 já haviam sido cancelados e daqueles que não foram, 20% foram transferidos para outras cidades ou estados. A suspensão dos eventos ainda influenciou na perda de arrecadação do ISS (Imposto Sobre Serviços) para Curitiba.

À Câmara de Curitiba, a Abeoc/PR pediu apoio para a criação de um “Hub de Eventos e Turismo” com o objetivo de minimizar os problemas vividos pelos empresários dos setores, gerar negócios e livres de aluguéis, e reduzir o índice de desemprego.

Também apresentou uma proposta de capacidade de lotação dos eventos, para que possam retomados de imediato: 40% na bandeira laranja, conforme regras já adotadas para o funcionamento de feiras de artesanato, museus e circos; 50% de lotação na bandeira laranja; 70% da lotação com 50% de pessoas vacinadas com a 1ª dose da vacina, conforme cronograma de vacinação da capital; e 100% de lotação com 100% da população imunizada.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="780975" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]