Rosa Weber nega pedido de votação remota para a presidência da Câmara dos Deputados

Redação

stf lula rosa weber voto julgamento

Nesta sexta-feira (22), Rosa Weber, vice-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), negou uma ação do PDT (Partido Democrático Trabalhista) que pedia pela votação remota para a escolha do presidente da Câmara dos Deputados.

O partido requereu a adoção do sistema híbrido para votação. Nesse caso, deputados que preferissem ficar em casa, por causa da pandemia da Covid-19, poderiam votar de forma remota. A informação é da Rede Globo.

A ação, representada pelo presidente do PDT, Carlos Lupi, e pelo deputado federal Mario Heringer (MG), justificava que em 2020 a Câmara realizou votações através do SDR (Sistema de Deliberação Remota).

“Há uma contradição crassa na deliberação corporificada no ato (…) e agora no limiar da segunda onda da pandemia do novo coronavírus, com o aumento exponencial de número de casos e mortes, intenta-se pôr em risco a vida de 513 deputados, funcionários da Casa e assessores”, diz a ação.

A eleição, marcada para o dia 1º de fevereiro define, a presidência da Casa e a composição da Mesa Diretora.

Previous ArticleNext Article