Política
Compartilhar

“Se eu não estiver preso eu falo com ela (Dilma) segunda”, diz Lula a Wagner

Os áudios disponibilizados nesta quarta-feira pela Justiça Federal de interceptações telefônicas do celular de um..

Redação - 20 de abril de 2016, 14:48

Os áudios disponibilizados nesta quarta-feira pela Justiça Federal de interceptações telefônicas do celular de um assessor do ex-presidente Lula, Valmir Moraes, revelam que Lula tratou com seu antecessor na Casa Civil, Jaques Wagner, a respeito de sua nomeação para o ministério da presidente Dilma.

Segundo as gravações, as tratativas ocorreram no final da semana passada, quando ambos estavam no Rio de Janeiro, mas não conseguiram se encontrar. Já imaginando que poderiam estar sendo gravados, Lula, seu advogado Paulo Teixeira e Wagner trocaram mensagens cifradas, em que o ministro foi chamado de “Baianinho”.

Nas conversas, Wagner informa a Lula que está tudo encaminhado e convida o presidente para a reunião com a presidente Dilma que ocorreu na última segunda-feira à noite. “Se der para você, ela marcou na segunda à noite”, disse Wagner. “Se eu não estiver preso, eu vou”, respondeu Lula.

Nos áudios Lula também deixa claro que irá, no governo, defender bandeiras do PT, como a questão da participação da Petrobras na exploração do pré-sal.

Ele ainda comenta com seus advogados a definição da ministra Rosa Weber como relatora de seu recurso ao STF que questionava o conflito de competência nas investigações do Ministério Público de São Paulo e da força-tarefa da Lava Jato sobre o tríplex no Guarujá.