“Se ignorarmos a crise, ela engole a gente”, diz Greca em balanço dos 100 dias de gestão

Jordana Martinez


O prefeito Rafael Greca apresentou nesta segunda-feira (10) o balanço dos cem primeiros dias de governo.  Ele enumerou as dificuldades encontradas pela gestão, destacou o rombo de R$ 2,1 bilhões no orçamento e listou as medidas que estão sendo tomadas para enfrentar a crise.

“Encontramos o mais grave quadro de crise financeira jamais visto em Curitiba, a cidade com falta de manutenção geral, uma emergência dramática na Saúde e a estrutura da Prefeitura inchada e ineficiente… mas retomamos obras, serviços, a conservação da cidade e montamos um Plano de Recuperação robusto. As armadilhas foram desarmadas, e a Prefeitura voltou a funcionar,” afirmou.

Rafael Greca voltou a criticar  a gestão de Gustavo Fruet e atribui as dificuldades que vem enfrentando ao rombo de R$ 2,1 bilhões. Para superar a crise, defendeu a aprovação do Plano de Recuperação de Curitiba.

“A situação nos assuntou… como as informações nos foram sonegadas durante a transição, só no final de janeiro tivemos a real noção do que estávamos recebendo. Vivemos então o drama de ter de recolocar a cidade nos trilhos sem que a administração pública parasse. Os últimos quatro anos foram de total descontrole financeiro,” disse.

Greca aproveitou para defender o pacote de ajuste fiscal encaminhado para a Câmara Municipal. O prefeito espera que as medidas sejam aprovadas ainda em maio.

“Eu quero que se esgote a discussão para que não haja a instrumentação ideológica do processo, para que se prove que não nos move outro interesse que o bem de Curitiba”, afirmou.

A entrevista coletiva foi acompanhada de perto por representantes dos sindicatos de servidores que discordam das medidas tomadas pela gestão e criticam a suspensão temporária da implementação dos planos de carreira.

Segundo o prefeito, as medidas são necessárias para evitar o colapso da Prefeitura, o que pode prejudicar até mesmo o pagamento dos salários dos servidores. “Não há plano de maldades, como dizem os sindicatos”, afirmou. “Há um pacote para evitar que a cidade vá a falência, que faltem serviços e que se atrase o salário dos servidores”, afirmou o prefeito.

Previous ArticleNext Article
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.
[post_explorer post_id="424237" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]