Política
Compartilhar

Secretários da nova gestão de Maringá são apresentados por Maia

Com Leonardo Filho do Metro Jornal MaringáO prefeito eleito de Maringá Ulisses Maia (PDT) confirmou ontem os primeiros q..

Fernando Garcel - 24 de novembro de 2016, 12:22

Com Leonardo Filho do Metro Jornal Maringá

O prefeito eleito de Maringá Ulisses Maia (PDT) confirmou ontem os primeiros quatro secretários que vão compor o primeiro escalão da administração a partir de 2017. Maia fez o anúncio durante a posse da nova diretoria do Observatório Social, ocorrida na Acim (Associação Comercial e Empresarial de Maringá).

Nenhum dos escolhidos até agora exerce ou exerceu cargo político. O contador e presidente do Instituto Cultural Ingá - ligado a Acim - Orlando Chiqueto, será o novo secretário da Fazenda. O engenheiro Gilberto Purpur será responsável pela Secretaria de Trânsito. Ele é servidor de carreira e durante quase 15 anos atuou na direção da secretaria. Foi transferido na gestão de Carlos Roberto Pupin (PP) ao Cemitério Municipal. Paulo Sérgio Larson Carstens - coronel aposentado da Polícia Militar - vai atuar na Secretaria de Recursos Materiais, Abastecimento e Logística.

Edson Pereira Cardoso será o responsável pela Secretaria de Planejamento. Cardoso é arquiteto e urbanista. Atualmente, preside o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá. “Conforme havia anunciado em campanha, são pessoas que vão colaborar nessa gestão de forma técnica”, afirmou Maia.

Em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (24), Maia declarou que nenhum dos secretários recebeu indicações de outras pessoas. "Nenhum deles recebeu indicações. Nós consultamos instituições, segmentos e conselhos de classe da comunidade para buscar sugestões", disse.

> Nomeações colocam fim à harmonia na transição entre Pupin e Ulisses Maia

Sobre os problemas no processo de transição entre os governos, Maia afirmou que não irá se responsabilizar por decisões tomadas no final da atual gestão e que pretende criar regras para uma futura transição de governo. "Existe normas e cartilhas do Tribunal de Contas, mas nós vamos construir uma legislação municipal para estabelecer regras para transição para que não ocorra mais isso", disse.