Política
Compartilhar

Sem algemas e em sala especial: os detalhes da prisão de Lula

No despacho que determina o cumprimento da ordem de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o juiz fede..

Roger Pereira - 05 de abril de 2018, 18:37

Foto: Sylvio Sirangelo / TRF4
Foto: Sylvio Sirangelo / TRF4

No despacho que determina o cumprimento da ordem de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o juiz federal Sérgio Moro veda a utilização de algemas “em qualquer hipótese” e informa que uma sala especial foi preparada para receber o ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Moro estabeleceu prazo até as 17h desta sexta-feira para que Lula se apresente voluntariamente à PF em Curitiba, antes de a PF ser acionada para cumprir o mandado de prisão.

O juiz determinou que os detalhes da apresentação deverão ser combinados pela defesa do petista diretamente com o delegado Maurício Valeixo, superintendente da PF no Paraná.

No documento, o juiz informou que foi preparada uma sala reservada para o início do cumprimento da pena do ex-presidente, "em razão da dignidade do cargo ocupado".

Segundo Moro, é uma espécie de sala de Estado Maior, na própria superintendência da Polícia Federal, "na qual o ex-presidente ficará separado dos demais presos, sem qualquer risco para a integridade moral ou física".

Além do despacho para prender Lula, Moro determinou também o cumprimento da pena de José Adelmário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro, da OAS, e Agenor Franklin Magalhães Medeiros, ex-executivo da construtora.

Os dois, condenados com o petista no caso do tríplex, já estão presos na carceragem da PF em Curitiba.