Operação Lava Jato
Compartilhar

Ex-tesoureiro do PT e mais 13 viram réus na Lava Jato

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, aceitou a denúncia ..

Fernando Garcel - 15 de agosto de 2016, 11:08

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, aceitou a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) e tornou o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) Paulo Ferreira e mais 13 pessoas réus no processo que apura o esquema de corrupção em obras da construção do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), da Petrobras, no Rio de Janeiro.

A denúncia foi apresentada pelo MPF na última terça-feira (9) e é referente as investigações da 31ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Abismo, deflagrada em julho deste ano. Os réus serão julgados por crimes de lavagem de dinheiro e corrupção.

ANÚNCIO

De acordo com a investigação, o Consórcio Novo Cenpes (formado pelas empreiteiras OAS, Carioca Engenharia, Construbase Engenharia, Schahin Engenharia e Construcap CCPS Engenharia) pagou R$ 20 milhões em propina para conseguir o contrato para execução das obras entre 2007 e 2012. O valor teria sido destinado para funcionários do alto escalão da estatal e para representantes do governo petista.

O Consórcio Novo Cenpes chegou a pagar para a empreiteira WTorre não participasse da licitação das obras.

> WTorre fica fora de denúncia da Lava Jato

> Ex-tesoureiro do PT é principal alvo da ‘Operação Abismo’

> Consórcio de empreiteiras pagou R$ 39 milhões em propina

O contrato firmado entre o consórcio e a Petrobras foi previsto em cerca de R$ 850 milhões, mas depois de ativos a obra para a construção do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento no Rio de Janeiro chegou a superar R$ 1 bilhão.

ANÚNCIO

Entre os réus do processo estão o ex-tesoureiro do PT Paulo Adalberto Alves Ferreira, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, e outras 12 pessoas. Veja:

Réus

Adir Assad - empresário e doleiro

Agenor Franklin Magalhães Medeiros - OAS

Alexandre Correa de Oliveira Romano - ex-vereador do Partido dos Trabalhadores (PT)

Edison Freire Coutinho - Grupo Schahin

Erasto Messias da Silva Júnior - Construtora Ferreira Guedes

Genésio Schiavinato Júnior - Construbase

José Aldemário Pinheiro Filho - (Léo Pinheiro) - ex-presidente da OAS

José Antônio Marsílio Schwarz - Grupo Schahin

Paulo Adalberto Alves Ferreira - ex-tesoureiro do PT

Renato de Souza Duque - ex-diretor de Serviços da Petrobras

Ricardo Backheuser Pernambuco - Carioca Engenharia

Rodrigo Morales - operador

Roberto Ribeiro Capobianco - Construcap

Roberto Trombeta - contador