Henrique Meirelles afirma que é o candidato de Temer à Presidência

Andreza Rossini e Mariana Ohde


O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles afirmou que é o candidato de Michel Temer para as eleições presidenciais de 2018, em encontro com empresários em Curitiba, nesta quinta-feira (10). A afirmação foi feita dias depois que o presidente informou que pode abrir mão da candidatura em nome de “uma única candidatura de centro” que pode ser “útil para o país”.

“Acredito que sim vamos ver como é que evolui, mas acredito que sim, é a minha expectativa”, afirmou.

Questionado se Temer é um bom cabo eleitoral, Meirelles argumentou: “eu acredito que, no devido tempo, vai ficar claro o efeito para o Brasil, para a população brasileira, das políticas todas adotadas neste governo”, disse.

Henrique Meirelles é pré-candidato pelo MDB desde abril e tem participado de uma série de viagens e reuniões – inclusive com o presidente – para se consolidar no partido e na disputa.

Sobre o resultado da última pesquisa Datafolha, em que seu nome aparece com apenas 1% das intenções de voto, ele afirmou que “ser pouco conhecido é solução”, e disse que solicitou pesquisas qualitativas para avaliar a candidatura.

“As pesquisas mostram as características que a população espera do presidente da república: competência, experiência, honestidade, seriedade”. “O meu problema, que pode ser a solução, é que só sou conhecido por 23% da população e, entre esses 23%, a intenção de voto é altíssima. O mínimo que posso fazer, nesse momento, no Brasil, é colocar meu nome na disputa para a presidência”.

“O ex-governador [Geraldo Alckmin], a quem tenho grande apreço e respeito, ele já foi candidato à Presidência duas vezes, tem um nível de conhecimento muito grande pela população. Aí que está o limite, todos aqueles que já disputaram a eleição já são muito conhecidos, na eleição para presidente. No meu caso, o nível de pessoas que já ouviram meu nome é baixo, mas na medida em que ouvem, veem, tomam conhecimento do meu histórico, a intenção de voto aumenta”, disse.

O ex-ministro afirmou que está aberto a diálogos para parcerias com outros partidos, mas que o projeto do MDB é apresentar um candidato a presidência. “Quando se coloca a ideia do MDB apontar um vice em uma chapa liderada pelo PSDB, eu me questiono, porque não o contrário?”, afirmou.

O ex-ministro comentou ainda a instabilidade política e seus efeitos na economia. Segundo ele, a economia deve crescer, apesar das incertezas. “A evolução do cenário eleitoral não configura uma solução que possa prejudicar o crescimento econômico”, disse.

Para Meirelles, o sistema eleitoral brasileiro “rígido” dificulta a candidatura de políticos que não estejam inseridos nos grandes partidos. “Não há, no Brasil, nenhuma alternativa para estar fora dos grandes partidos, que têm tempo de televisão e a base eleitoral: vereadores, deputados, prefeitos”, disse. “É importante este apoio político”.

“É importante um partido forte, embasado. O MDB, partido que teve presença importante na redemocratização do Brasil, diversificado, no Brasil inteiro. Tenho tido uma experiência boa”.

Henrique Meirelles esteve em Curitiba para um encontro realizado pelo Lide Paraná, no Castelo do Batel.  O tema do encontro, que reuniu diretores e líderes das principais empresas paranaenses, foi o “Cenário Econômico 2018”.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="522409" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]