Silvinho Pereira, ex-secretário geral do PT, é condenado na Lava Jato a 4 anos de prisão

Angelo Sfair

silvio pereira, silvinho pereira, silvinho do pt, silvinho land rover, land rover, gdk, mensalão, lava jato, operação lava jato

O ex-secretário geral do PT, Silvio Pereira, foi condenado por corrupção passiva em uma ação penal relacionada à Operação Lava Jato. A JFPR (Justiça Federal do Paraná) determinou uma pena de quatro anos e cinco meses de prisão. Silvinho, como é conhecido, poderá cumprir a punição em regime semiaberto. Ela já havia sido responsabilidade no Escândalo do Mensalão.

O petista foi acusado pela força-tarefa Lava Jato no Paraná por receber uma Land Rover Defender 90 como propina da empreiteira GDK. Em contrapartida, a empresa foi beneficiada em uma licitação da Petrobras para obras na unidade de tratamento de gás de Cacimbas, no Espírito Santo.

Nesta ação penal, o juiz federal Luiz Antonio Bonat, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, também condenou o ex-diretor da Petrobras Renato Duque (três anos 11 meses de prisão em regime aberto), e o administrador da GDK César Roberto Santos de Oliveira (quatro anos e cinco meses em regime semiaberto).

O administrador da GDK José Paulo Santos Reis e o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro foram absolvidos.

Na sentença do processo envolvendo Silvinho Pereira, Bonat destacou “o enorme potencial danoso das condutas [dos réus condenados], que visavam assegurar a contratação menos vantajosa para a Petrobras, por preço substancialmente mais elevado, com diferença entre a primeira e a segunda propostas de R$ 30.895.213,95.”

Por meio da assessoria de imprensa do MPF no Paraná, o procurador Felipe D’Elia Camargo, membro da força-tarefa Lava Jato, disse que a Justiça Federal reconhece novamente o pagamento de propinas por empresários em troca de favorecimentos em contratos da Petrobras.

“No caso, ainda foi reconhecido o pagamento de propina a pessoa ligada a partido político, o que revela mais uma vez uma disfunção no sistema político-partidário que precisa ser objeto de atenção, pois contribuiu de forma decisiva para um esquema que causou prejuízos bilionários à Petrobras”, afirmou.

Silvinho Pereira ainda pode recorrer da decisão.

Previous ArticleNext Article