Sistema desatualizado dificulta diagnóstico das contas do Estado

Roger Pereira e Fábio Buchmann - CBN Curitiba

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), afirmou, nesta terça-feira, que sua equipe ainda não conseguiu confirmar a informação de que há R$ 400 mil em recursos livres para investimentos no caixa do Estado, como anunciou a ex-governadora Cida Borghetti (PP) na cerimônia de transmissão do cargo, no último dia 1º. Segundo o governador a falta de dados no Sistema Integrado de Finanças Públicas do Estado (Siaf), o sistema de controle das finanças do Estado, impede o diagnóstico da real situação financeira do governo.

“Há um ano, a Fazenda fez licitação, contratando um novo software para a secretaria que, pelo que ouvimos falar, tecnicamente, é muito bom. Mas a Fazenda não conseguiu colocar todas as informações dentro deste software, então, apenas 60% das informações estão disponíveis, gerando pagamentos em duplicidade, falta de identificação de contas a pagar”, disse Ratinho. “Então, nossa preocupação é alimentar esse software o mais rápido possível para que a gente não fique no escuro”, acrescentou.

Segundo Ratinho, o problema no Siaf, que também já havia sido identificado pelo Tribunal de Contas do Estado, havia sido explicado pela equipe de Cida durante a transição de governo, apresntado como um problema técnico e sem tempo hábil para solução. “Todo dia é necessário colocar informações dentro deste software. Tinha um antigo que foi desativado sem um backup. E quanto o governo quis voltar com o antigo, o Tribunal de Contas não aceitou, porque esse novo já estava sendo usado”, explicou.

Sem o diagnóstico da real situação das finanças, Ratinho disse que sua equipe não mexerá, a princípio, em nenhuma alíquota de imposto, como o do IPVA, promessa de campanha. “Não tomaremos nenhuma decisão sobre alíquotas de impostos enquanto não tiver o panorama da situação financeira do estado. O que vamos fazer é analisar alguns serviços dentro do Detran para os usuários. Devemos anunciar algumas novidades em uma semana”, disse.


O governador afirmou, no entanto, que as contas estão sob controle e descartou qualquer risco de moratório. “Não tem necessidade de moratória, vamos tocando com os dados que temos e aguardando a conclusão do trabalho da fazenda. Estamos tomando mais medidas administrativas para otimizar a máquina pública e revendo alguns contratos dos últimos 60 dias, que entendemos que não são prioridade”.

Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal