Sítio de Atibaia: Moro marca novo depoimento de ex-presidente Lula

Fernando Garcel


O juiz federal Sérgio Moro marcou para 11 de setembro a audiência em que vai interrogar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação penal em que ele é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter recebido propina superior a R$ 1 milhão das empresas Odebrecht, OAS e Schahin Engenharia por meio de reformas feitas em um sítio de Atibaia (SP). A data foi marcada após os depoimentos das testemunhas de defesa ouvidas na tarde desta quarta-feira (20)

Ex-segurança de Lula diz em depoimento que frequentava o Sítio de Atibaia
Delator apresenta movimentação de R$ 700 mil para sítio de Atibaia, diz MPF

Essa será a terceira vez que Lula será interrogado por Moro na condição de réu. A primeira vez que o ex-presidente prestou depoimento ao magistrado foi em maio de 2017, na ação penal em que foi condenado pelo recebimento de vantagens indevidas pagas pela empreiteira OAS em um triplex no Guarujá (SP), e a segunda em setembro do ano passado, quando foi ouvido sobre a acusação de ter sido beneficiado pela Odebrecht com a compra de um terreno para o Instituto Lula e de um apartamento em São Bernardo do Campo (SP).

Moro também marcou o interrogatório dos demais réus da ação. As oitivas devem começar no dia 27 de agosto e terminar com o depoimento de Lula. Também são réus neste processo Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, Carlos Arando Guedes Paschoal, Emyr Diniz Costa Júnior, Emílio Alves Odebrecht, Marcelo Oderecht, Léo Pinheiro, Agenor Franklin Medeiros, Paulo Roberto Gordilho, Rogério Pimentel, Fernando Bittar, Roberto Teixeira e José Carlos Bumlai.

Sítio de Atibaia

De acordo com a denúncia do MPF, o ex-presidente Lula seria responsável por comandar “uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar, assentada na distribuição de cargos públicos na Administração Pública Federal” e teria recebido cerca de R$ 870 mil em vantagens indevidas em forma de reformas, construção de anexos e outras benfeitorias no Sítio de Atibaia. A denúncia foi elaborada com base em depoimentos, documentos apreendidos, dados bancários e fiscais bem como outras informações colhidas ao longo da investigação, todas disponíveis nos anexos juntados aos autos.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="531325" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]