Depoimento de Moro: Celso de Mello estipula 5 dias para PF intimar ex-ministro

Redação

sergio moro, jair bolsonaro, invasão, hospital, hospital municipal ronaldo gazolla, rio de janeiro, coronavírus, covid-19, pandemia

Celso de Mello determinou nesta quinta-feira (30) que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro seja intimado para prestar depoimento à PF (Polícia Federal) no prazo de cinco dias.

Pela decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Moro deverá apresentar provas das acusações feitas na semana passada contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A oitiva será a primeira medida tomada no inquérito aberto a pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, para apurar suposta tentativa de interferência na PF ou crime de denunciação caluniosa.

O pedido para agilizar a data do depoimento foi feito por parlamentares da oposição. Na última sexta-feira (24), durante pronunciamento, Bolsonaro negou que tenha pedido para o então ministro interferir em investigações da PF.

MORO ACUSA BOLSONARO DE INTERFERÊNCIA POLÍTICA

Sergio Moro irá prestar depoimento depois de acusar Jair Bolsonaro durante a sua demissão do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública no dia 24 de abril.

Durante sua fala, Sergio Moro disse que Bolsonaro queria alguém do contato pessoal dele dentro da PF “para que ele pudesse colher informações, relatório de inteligência.” Para o ex-ministro, esse não é o papel da Polícia Federal e que as investigações precisam ser preservadas.

“Não tenho como persistir no compromisso que assumi sem que eu tenha condições de trabalho, sem a autonomia da PF para realizar seus trabalhos ou sendo forçado a sinalizar uma concordância com uma interferência política, cujo resultados são imprevisíveis”, disse Moro no discurso de demissão.

Previous ArticleNext Article