STF envia três notícias-crimes à PGR, contra Jair Bolsonaro

Redação

celso de mello vídeo moro bolsonaro

O STF (Supremo Tribunal de Justiça) enviou, na manhã desta sexta-feira (22), três notícias-crimes à PGR (Procuradoria Geral da República), contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

As noticias-crimes foram apresentadas por partidos e parlamentares que reforçaram a necessidade de novas investigações sobre a suposta interferência de Bolsonaro na PF (polícia Federal).

Segundo as informações que foram divulgadas pelo UOL, entre as medidas solicitadas estão o depoimento do presidente, e a busca e apreensão do celular dele e de seu filho, Carlos Bolsonaro, para perícia.

No despacho, o Ministro Celso de Mello afirma que “A indisponibilidade da pretensão investigatória do Estado impede, pois, que os órgãos públicos competentes ignorem aquilo que se aponta na “notitia criminis”, motivo pelo qual se torna imprescindível a apuração dos fatos delatados, quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente envolvidas, ainda que se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo, Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado”.

Como relator do inquérito proposto pela PGR, Celso de Mello, enviou a ação para a avaliação do procurador-geral da República, Augusto Aras, que não tem prazo para se manifestar sobre os pedidos.

CELSO DE MELLO DECIDE HOJE SOBRE SIGILO DE VÍDEO

STF (Supremo Tribunal Federal), informou através de sua assessoria, na noite desta quinta-feira (21), que o Ministro Celso de Mello deverá tornar pública a sua decisão sobre o sigilo da gravação da reunião ministerial, citada pelo ex-ministro Sergio Moro, no momento de sua demissão, que comprovaria a interferência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nas decisões da PF (Polícia Federal).

O vídeo da reunião, que aconteceu no dia 22 de abril, faz parte do inquérito aberto pelo STF a pedido da PGR (Procuradoria Geral da República), para investigar as acusações feitas pelos ex-ministro.
Previous ArticleNext Article